Natal(RN), Terça-Feira, 3 de Março de 2015

    março3

    Prefeito Naldinho recusa participação da Ancoc na Caprifeira

    Todos sabem das dificuldades financeiras que passam as Prefeituras Municipais do Rio Grande do Norte, mas, mesmo assim, o Prefeito Naldinho de São Paulo do Potengi, município com vários problemas, recusou a parceria da Associação Norte-riograndense de Criadores de Ovinos e Caprinos (Ancoc) para organizar a Caprifeira do município, no mês de abril.

    A Prefeitura vai bancar a exposição só para satisfazer uns dissidentes da Ancoc que fundaram uma associação em São Paulo do Potengi, com o objetivo principal de enfraquecer a Ancoc.

    Uma exposição por menor que seja tem um custo de, aproximadamente, 50 mil reais que certamente fará falta para outras prioridades no município.

    A Ancoc, com a parceria da Secretaria de Estado da Agricultura, da Pecuária e da Pesca e da própria Prefeitura de São Paulo do Potengi sempre realizou uma boa exposição na cidade.

    Em represália a atitude do Prefeito Naldinho, os sócios da Ancoc não irão participar da exposição, o que enfraquecerá e muito o evento, principalmente pela qualidade genética já que os sócios da Ancoc possuem os melhores caprinos e ovinos do Estado.

    O Ministério Público deverá acompanhar de perto os gastos da Prefeitura na organização do evento.

    publicidade
    DNA Center

    março3

    Distribuidoras e Aneel fazem campanha para incentivar economia de energia

    Está no ar a campanha para incentivar o consumo consciente de energia no país, promovida pela Associação Brasileira de Distribuidoras de Energia Elétrica (Abradee) e pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Além de dicas para economizar energia, o material traz informações sobre o sistema de bandeiras tarifárias, que permite a cobrança mensal de um adicional pelo uso de energia de termelétricas.

    Entre as orientações para poupar energia estão usar o chuveiro elétrico na posição verão ou morno e evitar banhos demorados, desligar a televisão enquanto não estiver sendo usada, juntar roupas para passar de uma só vez e usar máquina de lavar louça e roupa apenas quando estiverem cheias. Outras dicas são preferir a iluminação natural, pintar a casa com cores claras e trocar as lâmpadas incandescentes por fluorescentes, além de apagar a luz quando deixar o ambiente.

    Em relação ao uso do ar-condicionado, a orientação é não deixar portas e janelas abertas quando o aparelho estiver ligado e manter os filtros sempre limpos. Na cozinha, é preciso verificar se a borracha da geladeira está em boas condições e não deixar a porta aberta mais do que o necessário. A campanha também orienta a troca dos eletrodomésticos antigos por novos, com o selo de eficiência energética da Procel.

    Na semana passada, a Aneel aprovou a revisão extraordinária das tarifas para 58 das 63 distribuidoras de energia do país. O aumento, que começou a valer ontem (2), ficou em média em 28,7% para as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, e em 5,5% para as distribuidoras que atuam nas regiões Norte e Nordeste.

    Além da revisão extraordinária, as distribuidoras passarão neste ano pelos reajustes anuais, que variam de acordo com a data de aniversário da concessão. Também comecaram a valer nesta semana os novos valores para as bandeiras tarifárias: quando a bandeira estiver vermelha, que significa custo maior de geração, haverá acréscimo de R$ 5,50 para cada 100 quilowatts-hora consumidos e, quando a bandeira estiver amarela, a cobrança será R$ 2,50 para cada 100 kw/h. Em janeiro e fevereiro deste ano, a bandeira tarifária aplicada foi a vermelha, que também deve ser adotada em março.

    Segundo a cartilha publicada pela Abradee, a bandeira tarifária não representa mais um custo incluído na conta de luz, e sim uma forma transparente de mostrar os gastos que passam despercebidos pela maioria dos consumidores. Isso porque, antes das bandeiras, as variações nos custos de geração de energia eram repassadas anualmente no cálculo do reajuste anual da distribuidora. “Não existe, portanto, um novo custo, mas um sinal de preço que sinalizará para o consumidor o custo real da geração no momento em que ele está consumindo a energia, dando a oportunidade de adaptar seu consumo, se assim o desejar ”, informa a cartilha. (Agência Brasil)

    publicidade
    escola_escritorio

    março3

    ANORC convida sócios para o lançamento do programa Leite e Genética

    A Associação Norte-riograndense de Criadores (ANORC) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae/RN) convida os sócios para o lançamento do projeto Leite e Genética, que acontece hoje, terça-feira (3), às 19h, no Auditório Arnor Francisco no Parque de Exposições Aristófanes Fernandes, em Parnamirim (RN). O projeto vai trabalhar melhoramento genético, gestão e planejamento do rebanho potiguar, subsidiando 80% dos custos para os criadores.

    O projeto conta com parceria da Federação da Agricultura do Estado do Rio Grande do Norte (FAERN), Sinproleite e Núcleos de Criadores do Estado, prevê ações de biotecnologias de reprodução, em bovinos, como a Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) e Fertilização In Vitro (FIV), sanidade de rebanhos, qualidade do leite, eficiência reprodutiva e gestão.

    Estão previstos pacotes de atendimentos para criadores de raças de leite e corte. Através do Sebrae/RN, o programa paga 80% dos custos dos investimentos a serem realizados nas propriedades rurais. Os outros 20% são contrapartida financeira do produtor que aderir ao programa.

    O início do programa, que é operado em parceria com o Instituto Bio sistêmico (IBS), também viabilizou a implantação do primeiro laboratório de fertilização in vitro no Estado, um desejo antigo da ANORC.

    “Esta é uma grande notícia para o setor agropecuário. Uma nova oportunidade para os nossos criadores darem um salto de genética e gestão eficiente. Somos parceiros deste grande projeto”, destacou o presidente da ANORC, Antônio Teófilo, explicando que o objetivo do programa é contribuir para o desenvolvimento genético das bovinoculturas de leite e de corte no Estado.

    Por meio de consultorias técnicas e inovação, as ações do projeto Leite e Genética trazem ao produtor programas de melhoramento genético. A essência do programa está em identificar, organizar, estruturar e melhorar, de maneira estratégica, a oferta e produção exigidas pelo mercado. As ofertas são focadas no fortalecimento e na sustentabilidade das propriedades leiteiras. O atendimento se dará através das unidades móveis. 

    publicidade
    Pet Stop

    março3

    Barragem Armando Ribeiro Gonçalves atinge o nível mais baixo desde a sua inauguração

    A Barragem Engenheiro Armando Ribeiro Gonçalves, no município de Itajá, na região do Vale do Açu, atingiu o nível mais baixo desde a sua inauguração na década de 1980.

    O reservatório está atualmente apenas com 29% de sua capacidade total de armazenamento. O engenheiro civil, Rafael Mendonça de Souza, lotado na unidade regional do DNOCS, destacou que o órgão recebeu uma determinação da Agência Nacional das Águas (ANA) para diminuir a vazão de água nas comportas do manancial. A determinação foi cumprida na última sexta-feira (27), quando diminuiu de 9,2 para 8 mil metros cúbicos de água por segundo.

    Rafael Mendonça informou que o reservatório hídrico baixou sua capacidade total de 32% para 29% de outubro do ano passado até o último mês de fevereiro, sendo que dois pontos percentuais caíram em janeiro. Ele enfatizou ainda, que a diminuição registrada por dia tem sido de um centímetro, o que representa um milhão de metros cúbicos.

    publicidade
    Agronorte

    março2

    Escola Manoel Dantas abre o ano letivo em grande estilo e lança Esquina do Conhecimento


    Fotos: Claúdio Abdon

    Depois de viver meses de incerteza, chegando a ser fechada, no fim do Governo passado, a Escola Estadual Manoel Dantas, localizada no bairro Tirol, em Natal, abriu o ano letivo de 2015 em grande estilo. Hoje foi um dia de festa, não somente para os que estudam e trabalham na instituição, mas para diversas entidades e pessoas que fizeram um movimento em sua defesa.

    A Escola não só foi reaberta pelo Governador Robinson Faria, ainda no mês de janeiro, como contou com a presença do Chefe do Executivo na cerimônia dessa manhã, ocasião que reuniu a Senadora Fátima Bezerra, o Deputado Estadual Fernando Mineiro, as Vereadoras Eleika Bezerra e Amanda Gurgel, o Vereador Hugo Manso, o Secretário de Educação Francisco das Chagas, entre outros Secretários de Estado, coordenadores de diversos órgãos da Educação, Professores, Estudantes, Pais, Mães.

    Em seu discurso de boas vindas, a Diretora da Escola, professora Ana Lúcia Trindade, fez uma retrospectiva do que culminou no fechamento da Escola. Lembrou a luta para reabri-la e agradeceu ao Governador por ter sido sensível ao pleito da comunidade. Emocionada, a professora Maria das Dores, que liderou a luta pela reabertura da Escola, destacou que nenhuma escola deve ser fechada.

    O momento foi marcado pela apresentação do“Esquina do Conhecimento”, projeto político-pedagógico da Escola, a ser coordenado pela professora Cláudia Santa Rosa, que tem proposta baseada na sua tese de doutorado em educação, já experimentada, com êxito, na Escola Estadual Hegésippo Reis, cujo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) é o segundo melhor entre as escolas estaduais de Natal. Santa Rosa, foi enfática: “aqui construiremos a melhor escola possível. Esta escola, em quatro anos, terá avançado de forma significativa no seu IDEB, atualmente 2,5, numa escala de 0 a 10. Este é o meu compromisso e o meu desafio.” E completou: Estou saindo da cômoda situação de coordenar um projeto exitoso para me unir a uma equipe comprometida que deseja o melhor para as crianças.” A professora anunciou a parceria da Escola com o Aero Clube do Rio Grande do Norte que consistirá no uso, pelas crianças, de toda estrutura para a prática de esportes.

    Francisco das Chagas, secretário estadual de Educação, prometeu oferecer as condições para o funcionamento do projeto e afirmou que a escola estará, ainda esta semana, com o seu quadro docente completo. Lembrou que as obras ainda não foram concluídas e que os trabalhos continuarão.

    O governador Robinson Faria começou o seu pronunciamento com um agradecimento especial à professora Cláudia Santa Rosa, pela colaboração ofertada durante a sua campanha ao Governo do Estado e pelo que contribuiu para o seu plano de governo na área de educação. Disse que acompanhou todo movimento da escola e da sociedade pela permanência da Escola de portas abertas e afirmou: “Eu não poderia tomar outra decisão que não fosse essa, pois eu segui as minhas convicções e tudo o que eu defendo e não poderia compactuar com o fechamento de uma escola que tem uma história tão importante para o nosso estado”.

    O Governador anunciou a construção de um ginásio de esportes na Escola e a atualização do laboratório de informática. Dirigiu-se a professora Cláudia Santa Rosa: “Cláudia, esta escola será o símbolo da minha gestão na Educação. Você terá todo o meu apoio para realizar o projeto que foi planejado”.

    publicidade
    Marcelo Abdon

    março2

    Sima, maior feira agrícola do mundo

    Fotos do Paris International Agribusiness Show (Sima), maior feira agrícola do mundo realizado a cada dois anos em fevereiro na França.


    Fotos: Globo Rural

    março2

    Brasil está entre os países de maior competitividade agrícola

    O ministro do Desenvolvimento Agrário (MDA), Patrus Ananias, recebeu o representante permanente do Brasil junto à Organização Mundial do Comércio, o embaixador Marcos Galvão, nesta segunda-feira (2), para conversar sobre a tentativa de relançamento da Rodada Doha, que está em curso em Genebra (Suíça). A Rodada Doha da OMC, lançada em 2001, visa diminuir barreiras comerciais em todo o mundo, com foco no livre comércio para os países em desenvolvimento.

    Para o ministro, a OMC tem um grande papel a desempenhar nessa Rodada. “Esses organismos internacionais que protegem a agricultura familiar, como a OMC, são muito importantes para nós”, afirmou Patrus Ananias ao salientar que as conversações nessa Rodada têm como centro a separação entre países ricos, desenvolvidos e os maiores países em desenvolvimento, representados pelo G20. Os subsídios agrícolas são o principal tema de controvérsia.

    O embaixador Marcos Galvão acredita que o MDA tem um forte apelo nessas negociações. “A agricultura ocupa um lugar central nessa negociação, sobretudo para o Brasil, que é um grande exportador agrícola e que tem interesse em reestabelecer um equilíbrio a favor da agricultura. Nós temos que tentar reduzir o protecionismo e criar formas de apoio à agricultura familiar”, apontou.

    Marcos lembrou que o Brasil está entre os países desenvolvidos mais competitivos em termos agrícolas. “O fato de ser competitivo em agricultura e de ter uma imensa capacidade exportadora não nos exime da necessidade de compreender e apoiar programas e políticas que visem fortalecer a agricultura familiar mundial, com todos os benefícios sociais que isso traz”, considerou. Marcos Galvão explicou, também, que a Rodada Doha já passou por diversas fases. “Teve momentos em que ela avançou um pouco mais e fases de impasse. Agora, 14 anos depois, estamos vivendo um momento de tentativa de relançamento dessa negociação, com vistas à conclusão de negociações”, defendeu ao realçar que o Brasil desempenha um papel central nessas negociações, sobretudo na área agrícola.

    março2

    Preço médio das terras no Brasil teve valorização acima de 300% nos últimos anos

    Um estudo realizado pela Assessoria de Gestão Estratégica do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (AGE/Mapa), em conjunto com pesquisador da Universidade de Brasília, aponta uma valorização média de 308% entre 2002 e 2013. Em termos comparativos, a taxa de inflação dada pelo IGP-DI da Fundação Getúlio Vargas (FGV), foi de 121,9% no mesmo período.

    A terra representa no Brasil 70,5% do valor dos bens existentes nos estabelecimentos agropecuários. Os demais valores são distribuídos em prédios, instalações e benfeitorias, lavouras permanentes e temporárias, matas e outros bens, como veículos, máquinas e animais.
    Segundo José Gasques, da AGE, um dos autores do estudo, cerca de 60% do valor das terras do país encontram-se em estabelecimentos acima de 200 hectares; estes somavam 252,4 mil estabelecimentos no Censo de 2006 e representam 5,0% do total dos estabelecimentos levantados pelo IBGE.

    O estudo concluiu que a produtividade agrícola tem forte correlação com o preço de terras de lavouras e de pastagem. Assim, o aumento da produtividade agrícola pode estimular a demanda de terra, como também arrefecer uma eventual pressão sobre o aumento do preço. Os preços dos produtos agrícolas, expressos pela relação de trocas da agricultura também forçaram a tendência crescente dos preços de terras de lavouras e de pastagens.

    Por fim, o crédito rural, especialmente o de investimento tem sido um dos fatores que têm contribuído para a valorização de terras no Brasil. O estímulo ao crédito de investimento através de programas e políticas específicas foi essencial para a elevação do preço de terras e para sua valorização.


publicidade