Natal(RN), Quarta-Feira, 1 de Julho de 2015

    julho1

    Americano vive sem dinheiro há 15 anos. E diz que nunca foi tão feliz!

    Quem nunca ouviu falar da história de Christopher McCandless, o viajante americano que largou tudo para cair na estrada logo após se formar na universidade e acabou morrendo acidentalmente após ter se alimentado com uma planta venenosa?

    Pois bem, a história de Daniel Suelo é bem parecida, mas ele continua firme e forte e está há 15 anos na estrada sem um centavo no bolso… e parece estar muito feliz com isso. Pelo menos é o que ele diz e o que qualquer um pode ver em seu semblante.

    Daniel Shellabarger (seu nome de batismo), tem 54 anos e passou grande parte de sua vida em Arvada, uma pequena cidade próxima a Denver no Colorado (EUA) e 15 anos atrás, quando trabalhava como cozinheiro em Utah, tomou uma decisão que qualquer um consideraria loucura: Ele decidiu viver sem dinheiro. Simples assim! Sem um centavo no bolso até o resto de sua vida.

    No ano 2.000, Daniel entrou em uma cabine de telefone público e deixou lá “de presente” toda a grana que tinha no bolso (e na vida): US$ 30. Jogou seu passaporte e sua carteira de motorista fora e mudou seu sobrenome para Suelo, que em espanhol significa solo. Daí pra frente meteu o pé na estrada e passou a viver como nômade. Passou por algumas comunidades alternativas, acampou no deserto e, quando é convidado, dorme na casa de estranhos, mas sua base é uma caverna no deserto de Moab em Utah (EUA).

    Muitos podem dizer: “Mas esse cara é um mendigo, um andarilho e as BRs pelo Brasil afora estão cheias deles. Qual é a diferença?” – a diferença é que Daniel faz isso por ideal. Daniel é cristão e parece viver na simplicidade como vivia Jesus, sem moedas de prata . Ele não pede esmolas, nem está cadastrado em nenhum plano assistencial do governo. Não recebe ou paga em dinheiro. No blog que mantém há uma frase que deixa claro seu estilo de vida: “A Natureza Selvagem, fora da sociedade de consumo, funciona através da economia da dádiva (de graça recebestes, de graça dai)”. Daniel que tem formação universitária, decidiu trabalhar em troca apenas do que realmente precisa para viver, nada mais que isso! Se recusa a receber qualquer compensação monetária em troca de trabalho. Em vez disso, ele aceita alimentos, roupas e amizade.

    A história de Suelo chamou a atenção dos jornais The Huffington Post e The Guardian que em 2009 fizeram reportagens sobre ele. Após a exposição na mídia a editora Penguin Books tentou persuadi-lo a escrever uma autobiografia, mas ele colocou uma condição: Escreveria de graça e o livro teria que ser dado de graça! A editora recusou a oferta, mas um amigo próximo, Mark Sundeen, o convenceu a escrever. Afinal, de que adianta ter um modo de vida sustentável e livre sem que as pessoas possam conhecer? “The Man Who Quit Money” foi lançado em 2012. Suelo recusou pagamento pelo trabalho, mas solicitou que cópias do livro fossem distribuídas gratuitamente em eventos que promovam um estilo de vida sustentável. 

    A vida de Daniel pode parecer loucura pra muita gente. Muitos dirão que ele é um impostor, que a venda dos livros, por exemplo, já invalidariam seu estilo de vida, mas em seu blog há uma passagem que ele conta o porque decidiu viver assim: “Quando eu vivia com dinheiro, eu estava sempre sentindo falta de algo. O dinheiro representa essa falta. O dinheiro representa coisas do passado (dívidas) e coisas do futuro (crédito), mas o dinheiro nunca representa o presente.

    Nós precisamos de muito pouco para viver e não nos damos conta disso.” Daniel aprendeu a viver com muito pouco, materialmente falando. Quem já caiu na estrada em uma viagem de longo prazo e passou por perrengues mil, sabe que isso é pura verdade. De qualquer forma, mesmo não vislumbrando viver como ele, qualquer um há de concordar que seu estilo de vida é um belo exemplo de como é possível viver em paz e de forma sustentável em um mundo cada vez mais preocupado com crises financeiras e a destruição dos recursos naturais. E ele não está sozinho, na web há sites de outras pessoas que estão fazendo o mesmo. A Alemã Heidemarie Schwermer , o irlandês Mark Boyle e o viajante Tomi Astikainen são alguns que estão tentando viver uma vida fora da sociedade de consumo. (UOL)

    publicidade
    DNA Center

    julho1

    Bandidos fazem arrastão em residência em Natal

    Três homens fizeram um arrastão em uma casa no bairro de Neópolis, em Natal, na noite de terça-feira (30). Quatro pessoas estavam na residência, entre elas uma idosa de 88 anos. 

    Segundo a Polícia Militar, um dos moradores entrava na residência quando foi surpreendido pelos criminosos. Um casal e a idosa, que estavam dentro do imóvel, também foram rendidos. Uma das vítimas contou que a ação durou menos de dez minutos. Dos três assaltantes, dois estavam com revólveres. Objetos de valor foram roubados.
    Na fuga, os assaltantes usaram o carro da família. Testemunhas disseram que uma moto ficou estacionada na rua, dando apoio ao trio.

    A violência no Rio Grande do Norte está sem controle.

    publicidade
    escola_escritorio

    julho1

    Assaltantes fazem arrastão em dois bares na noite de ontem em Natal

    Dois bares foram alvos de arrastão na noite de terça-feira (30) em Natal. Em ambos, três homens armados realizaram os assaltos, segundo informações da Polícia Militar. Ninguém foi preso.

    No bairro de Ponta Negra, os criminosos invadiram o Bar do Suvaco. Todos os clientes foram roubados. Ainda de acordo com a PM, o vigilante foi rendido e teve a arma levada.

    Já no bairro de Neópolis, o alvo foi o Espetinho 18, que fica na rua Abaeté. As vítimas tiveram pertences roubados e os criminosos também fugiram. 

    A violência está sem controle no Rio Grande do Norte.

    publicidade
    Pet Stop

    julho1

    Senado aprova MP que reajusta tabela do Imposto de Renda

    O Senado aprovou a Medida Provisória (MP) 670/2015 que reajusta a tabela mensal do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF). O texto foi aprovado conforme texto enviado pela Câmara dos Deputados, sem alterações promovidas pelos senadores.

    A MP concede reajuste escalonado das bases de cálculo da tabela progressiva do Imposto de Renda. O reajuste vai de 4,5%, para a faixa de renda mais alta, a 6,5%, para a faixa de renda mais baixa (isenta). A renda mensal máxima para isenção passa a ser R$ 1.903,98. Os reajustes valem a partir de abril de 2015 e surgiram de negociações do governo com o Congresso para manter o veto ao reajuste linear de 6,5% para a tabela.

    Os senadores de oposição defenderam emenda para que os efeitos da MP vigorassem a partir de janeiro, não de abril, para que ela pudesse valer para todo o ano. O senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) chegou a alegar que o ano fiscal não poderia ter apenas nove meses e que deveria ter 12 meses. Na Câmara, os deputados já tinham rejeitado emenda para que toda a tabela fosse reajustada em 6,5%.

    No entanto, os deputados aprovaram uma emenda que concede isenção de imposto em despesas com a aquisição de livros, por professores e seus dependentes. O valor, que se encaixa no campo das deduções com educação, poderá chegar a R$ 3.561,50 a partir do ano-calendário 2015. Eles também aprovaram outra emenda que isenta o óleo diesel do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins).

    As duas modificações foram mantidas no texto aprovado pelo Senado, que segue agora para sanção da presidente Dilma Rousseff. 

    publicidade
    Agronorte

    julho1

    Flip começa hoje com 41 autores na programação principal

    A 13ª Festa Literária Internacional de Paraty (Flip) começa hoje (1º) homenageando o poeta, romancista, folclorista e crítico literário modernista Mário de Andrade. Ainda é pouca a movimentação de turistas nas ruas da cidade do litoral sul do Rio de Janeiro, mas, de acordo com o secretário adjunto de Turismo do município, Gabriel Costa, a rede hoteleira já está com 75% de ocupação.“Costuma ser assim todos os anos, até o fim de semana vai ter 100% de ocupação”. Segundo o secretário, são 370 estabelecimentos, que oferecem 12 mil leitos, sem contar aluguel de quartos em casas e campings.

    Costa informou também que são esperadas 25 mil pessoas nas festividades, a maioria turistas cariocas, paulistas, mineiros, argentinos, franceses, italianos, ingleses e chilenos. Morador de Paraty, o guia de turismo Sérgio dos Anjos Vieira destaca que a programação paralela da Flip é a que mais envolve a população local. “É uma oportunidade que eles [organizadores] dão para o habitante se envolver com isso. Não ser uma coisa paralela só para o turista”.

    A filha de Sérgio, Anapurna Vieira, de 10 anos, mora em Brasília e veio de férias para Paraty. Ela lembra que já participou de outras edições da Flip e está empolgada com mais uma festa literária. “A cidade fica bem cheia e bem animada, eu acho legal. Minha autora favorita é J.K Rowling, da série Harry Potter, já li quatro. Eu gosto por causa da aventura. Ainda não vi a programação deste ano, mas estou empolgada”

    A conferência de abertura, marcada para às 19h, terá como tema As Margens de Mário, com Beatriz Sarlo, Eliane Robert Moraes e Eduardo Jardim. Na sequência, às 21h30, o show de abertura da Flip 2015 traz o título Música na Praça, apresentando a arte popular recorrente na obra de Andrade, com Luís Perequê, o grupo cirandeiro Os Caiçaras e a cantora Dani Lasalvia.

    Foi cancelada a participação do escritor Italiano Roberto Saviano, um dos principais nomes anunciados pela organização. Ele faria um bate bapo na noite de sábado, mas não pôde deixar a Europa por motivo de segurança. Ele vive sob escolta permanente há 9 anos, após receber ameças de morte. Sua principal obra, Gomorra, é um livro-reportagem que retrata em detalhes a atuação da organização mafiosa Camorra, do sul da Itália.

    No ano passado, a Flip homenageou Millôr Fernandes e recebeu 26 mil pessoas nos 200 eventos oferecidos, entre shows, lançamentos de livros, peças de teatro, mesas de debates e filmes. 

    publicidade
    Marcelo Abdon

    julho1

    Redução da maioridade penal para crimes graves é rejeitada pela Câmara

    Após mais de quatro horas de discussão, o plenário da Câmara dos Deputados rejeitaram a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 171/93 que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos. Foram 303 votos favor, 184 contra e 3 abstenções. Para ser aprovado o texto da PEC precisava de, no mínimo, o voto de 308 deputados.

    A votação, considerada histórica por sua repercussão, começou pouco depois da meia-noite. A PEC reduz a maioridade penal para a prática de crimes hediondos, como estupro, latrocínio; homicídio qualificado e lesão corporal grave, lesão corporal grave seguida de morte e roubo agravado (quando há sequestro ou participação de dois ou mais criminosos, entre outras circunstâncias).

    Como o texto rejeitado era um subistutivo, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse que o plenário deverá fazer nova votação para deliberar sobre a proposta original que diminui a maioridade penal para todos os crimes. “Iremos deliberar no colégio de líderes a deliberação”, disse.

    Em uma sessão marcada por um plenário dividido, mais de 20 deputados se revezaram na tribuna para defender e argumentar contra o relatório do deputado Laerte Bessa (PR-DF) aprovado no último dia 17, por 21 votos a 6 na comissão especial destinada a analisar o tema.

    O líder do PMDB, Leonardo Picciani (RJ), disse que a maioria da bancada votaria a favor “Nós somos favoráveis porque ele propõe a redução para os crimes hediondos, graves e sobretudo os crimes contra a vida”.

    Mesma posição foi tomada pelo deputado Moroni Torgan (DEM-CE) que defendeu a redução sob o argumento de que a medida vai acabar com a sensação de impunidade. “Queremos acabar com a impunidade para esses adolescentes que cometem crimes graves e que praticamente não são punidos como se deve", defendeu.

    Contrário à redução, o líder do PROS, Domingos Neto (CE), argumentou que a sociedade quer o fim da impunidade, mas que muitos parlamentares também se colocam a favor para dar uma resposta a opinião pública. “A nossa bancada é contra este modelo de redução que se estende a alguns setores da sociedade pois é discriminatório. Temos que firmar o compromisso de modernizar o Estatuto da Criança e do Adolescente [ECA]”, disse. “A opinião pública condenou Jesus Cristo e absolveu Barrabás”, complementou o vice-líder do governo, Sílvio Costa (PSC-PE).

    O governo se posicionou contra a redução e defendeu como alternativa a alteração no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) para aumentar o tempo de internação para os adolescentes que cometerem crimes graves, além de mudanças na legislação para endurecer as penas para quem aliciar adolescentes para a prática de crimes. “Não podemos agir emocionalmente, mas também não podemos deixar de dar uma resposta para a sociedade. E o governo está propondo essa mudança”, afirmou Guimarães.

    Após a divulgação do resultado, os manifestantes contrários à redução comemoraram e cantaram o Hino Nacional. desde a manhã eles promoveramatos contra a PEC. Os protestos contra a aprovação da proposta reuniram integrantes de organizações estudantis, centrais sindicais e movimentos sociais contrários a redução da maioridade penal. Em frente ao Congresso Nacional, o gramado foi ocupado por manifestantes com faixas e cartazes em um ato contra a PEC. (Agência Brasil)

    julho1

    Reajuste salarial de servidores do Judiciário é aprovado no Senado

    O plenário do Senado aprovou ontem à noite (30) o projeto de lei da Câmara que estabelece reajuste escalonado, em média de 59,49%, para os servidores do Poder Judiciário. 

    A proposta foi negociada pelo senador Walter Pinheiro (PT-BA) com o Executivo e o Judiciário, permitindo uma tramitação rápida, além do parecer favorável do relator, senador José Maranhão (PMDB-PB). Os servidores do Judiciário estão sem reajuste desde 2006 e vinham pressionando em busca de aumento salarial.

    Pelo texto aprovado, o reajuste vai variar de 53% a 78,56%, a depender da classe e do padrão do servidor. O pagamento deverá ser feito em seis parcelas, entre julho deste ano e dezembro de 2017. A aplicação da proposta dependerá ainda de previsão nas próximas leis de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e os órgãos do Poder Judiciário deverão se comprometer em ajustar as contas, otimizando os processos na área administrativa e reduzindo os gastos com funções de confiança.

    A aprovação foi por unanimidade, mas, apesar disso, o líder do governo no Senado, Delcídio do Amaral (PT-MS), anunciou que o projeto será vetado pela presidente Dilma Rousseff por causa dos impactos financeiros sobre as contas públicas.

    Mais cedo, o senador apresentou um requerimento para o adiar a votação, de modo que o governo tivesse mais tempo para negociar com os servidores do Judiciário. O requerimento foi acompanhado por ofícios do presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowiski, e do ministro interino do Planejamento, Dyogo Henrique de Oliveira solicitando o adiamento da votação. No entanto, todos os partidos votaram contra o adiamento e o projeto foi colocado em votação.

    junho30

    Há pessoas que fazem sexo melhor do que outras?

    Por *Regina Navarro Lins

    “Um bom sexo depende da expectativa de cada um. Para uma pessoa comum é ter um orgasmo, depois outro, mais outro… e acabou. Isso ocorre porque ela está muito ligada ao sexo animal. O bichinho sente um impulso instintivo, cruza, espalha suas sementinhas e pronto. Para os tântricos, o sexo oferece expectativas maiores. É possível viver o sexo intensamente, não aqueles segundinhos de mero espasmo nervoso. O que a gente quer não é um orgasmo, nem mesmo um orgasmo múltiplo, e sim um hiperorgasmo.”, diz Mestre De Rose, autor de vários livros sobre o tema.

    Para o psicoterapeuta e escritor José Ângelo Gaiarsa, “o sexo praticado hoje é extremamente estereotipado. Qual é o resultado disso? 70% dos americanos ejaculam dois minutos ou menos depois da penetração. E segundo os especialistas, nós, os ocidentais, temos, todos, ejaculação precoce. O Tantra, que é primoroso a esse respeito, mostra o que o ocidental perde de prazer! E sempre servindo ao patriarcado, porque o nosso prazer é tão precário que você não vai brigar demais por ele. Você perde a noção do que é prazer e felicidade. Se você tem prazer e conhece a felicidade você tem tesão geral. Se você vai matando este tesão primário da vida, você se torna parte de um rebanho, vai brigar para quê?”

    O sexo, na intimidade da vida de cada um, continua sendo para a maioria um problema complicado, difícil, cheio de dúvidas e autojulgamentos negativos. A liberdade sexual de hoje é mais falada do que realizada, ainda existindo em quase todos uma carência fundamental de sexo, tanto em quantidade como em qualidade.

    Não é sem motivo que o psicanalista Wilhelm Reich falava na miséria sexual das pessoas. Mas poucos se dão conta disso; as dificuldades sexuais são tantas que quando ocorre uma descarga sexual acham que foi tudo bem. E nesse caso a frase de Jung, “O pior inimigo do ótimo é o bom”, cai como uma luva. Mas, enfim, por que o sexo praticado entre nós é de tão baixa qualidade?

    O ser humano possui uma amplitude sexual inigualável, podendo experimentar e viver a sexualidade desde a simplicidade reprodutora de um puritano até o êxtase do sexo tântrico. Para Reich, a saúde psíquica depende do ponto até o qual o indivíduo pode entregar-se e experimentar o clímax de excitação no ato sexual. As enfermidades, ao contrário, seriam o resultado do caos sexual da sociedade. Afinal, o ser humano é a única espécie que não segue a lei natural da sexualidade.

    Gaiarsa diz que o sexo reprimido significa liberdade reprimida. Ao restringir o sexo, a sociedade consegue ao mesmo tempo paralisar o indivíduo, isto é, torná-lo bonzinho, dócil, submisso, resignado, fácil de levar, de assustar e de explorar. E é por isso que o sexo é responsável pela maior perseguição na área dos costumes humanos e o maior mistério diante do óbvio.

    Para ele não há dúvida de que se o indivíduo vai ampliando, aprofundando e diversificando sua vida sexual, vai ficando corajoso para fazer as coisas. Vive com mais alegria, esperança e decisão. Portanto, pode ficar perigoso do ponto de vista da ordem estabelecida. Não foi à toa que todas as forças repressoras de todas as épocas se voltaram tão sistematicamente contra a sexualidade humana.

    Dessa forma, os estereótipos tradicionais de masculinidade e feminilidade das sociedades patriarcais inibiram a capacidade de homens e mulheres para o prazer sexual. As mulheres tiveram sua sexualidade reprimida e distorcida, a ponto de até hoje algumas serem incapazes de se expressar sexualmente, muito menos atingir o orgasmo.

    Os homens, por sua vez, também tiveram a sexualidade bloqueada. A preocupação em não perder a ereção é tanta que fazem um sexo apressado, com o único objetivo de ejacular. A mulher, com toda a educação repressora que teve, ainda se sente inibida em sugerir a forma que lhe dá mais prazer. Acaba se adaptando ao estilo imposto pelo homem, principalmente por temer desagradá-lo.

    Exercer mal o sexo é isso: não se entregar às sensações e fazer tudo sempre igual, sem levar em conta o momento, a pessoa com quem se está e o que se sente. É fundamental não ter preconceito nem vergonha, considerar o sexo natural, fazendo parte da vida.

    A busca do prazer pode então ser livre e não estar condicionada a qualquer tipo de afirmação pessoal. O sexo pode ser ótimo quando se cria o tempo todo junto com o parceiro e o único objetivo é a descoberta de si e do outro. Assim, ele deixa de ser a busca de um prazer individual para se tornar um poderoso meio de transformar as pessoas.

    *Regina Navarro Lins é psicanalista e escritora, autora de 11 livros sobre relacionamento amoroso e sexual, entre eles o best seller “A Cama na Varanda” e “O Livro do Amor”. Atende em consultório particular há 39 anos, realiza palestras por todo o Brasil e é consultora e participante do programa “Amor & Sexo”, da TV Globo. Nasceu e vive no Rio de Janeiro.

    junho30

    Cuba é o primeiro país a eliminar transmissão do HIV de mãe para filho

    A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou oficialmente hoje (30) que Cuba é o primeiro país do mundo a eliminar a transmissão do vírus da aids (HIV) e da sífilis de mãe para filho. “Eliminar a transmissão de um vírus é um dos maiores feitos em matéria de saúde pública”, afirmou a diretora-geral da OMS, Margaret Chan.

    “É uma grande vitória na nossa longa luta contra o vírus HIV e as infeções transmitidas sexualmente, assim como um passo importante para conseguirmos uma geração sem aids”, acrescentou.

    De acordo com a diretora da Organização Pan-Americana de Saúde, Carissa Etiènne, o êxito alcançado por Cuba mostra que um acesso universal a cuidados médicos é possível . "Na verdade, é a chave do êxito contra desafios tão grandes como a aids.”

    Segundo a OMS, em todo o mundo cerca de 1,4 milhão de mulheres infectadas com o HIV engravidam a cada ano. A maioria vive em países em desenvolvimento, especialmente na África Subsaariana.

    Sem tratamentos antirretrovirais, há o risco de que entre 15% e 45% dessas mulheres transmitam o vírus ao bebê durante a gravidez, o parto ou a amamentação.

    Em contrapartida, esse risco é praticamente eliminado, caindo para pouco mais de 1%, quando a mãe é tratada com antirretrovirais durante a gravidez e o bebê recebe o mesmo tipo de tratamento a partir do nascimento.

    O número de bebês que nascem soropositivos no mundo passou de 400 mil, em 2009, para 240 mil em 2013.

    Em 2010, os estados que integram a OMS comprometeram-se a eliminar a transmissão do HIV de mãe para filho até 2020.

    No caso da sífilis, quase um milhão de mulheres grávidas são infectadas a cada ano, o que pode causar morte fetal, morte perinatal ou infecções neonatais graves.

    Para o reconhecimento oficial da OMS, o número de nascimentos de bebês infectados com o HIV tem de ser inferior a dois em cada 100 bebês nascidos de mães soropositivas e, no caso da sífilis, igual a um caso para cada 2 mil nascimentos. (Agência Brasil)


publicidade