Natal(RN), Sábado, 25 de Outubro de 2014

outubro25

Brasil é o segundo país com mais usuários do Waze

O trânsito caótico em cidades como São Paulo e Rio de Janeiro está impulsionando o uso do aplicativo de GPS social Waze no Brasil. O país já é o segundo em número de usuários ativos do serviço – pessoas que usaram o serviço pelo menos uma vez nos últimos 30 dias –, atrás apenas dos Estados Unidos. “Os dois países se revezam na liderança em número de usuários no mundo”, disse Julie Mossler, diretora global de comunicação do Waze, durante um evento realizado em São Paulo na sexta-feira (24). 

Além dos Estados Unidos e do Brasil, França, México e Reino Unido também têm grandes comunidades de usuários. Com 1,5 milhão de usuários, São Paulo está entre as cidades do mundo mais importantes do Waze, assim como Los Angeles e Nova York, nos Estados Unidos, e Jacarta, na Indonésia. “No Rio de Janeiro já temos mais de 500.000 pessoas conectadas ao Waze”, afirma Julie.

O Waze é um aplicativo de mapas que permite traçar rotas de acordo com as condições de trânsito. Ele foi criado em Israel em 2007 e adquirido pelo Google em junho de 2013 pela quantia estimada de 1,3 bilhão de dólares. O serviço se popularizou no país a partir de junho de 2013, quando ganhou uma versão em português. Com seus recursos de atualização de rotas em tempo real, baseados na velocidade do veículo e em informações enviadas pelos motoristas, o Waze se tornou um dos apps de mapas mais populares em todo o mundo, com mais de 50 milhões de usuários.

Com o aumento de usuários no Brasil, o Waze contratou há cerca de quatro meses sua primeira executiva na América Latina. A brasileira Flávia Sasaki, que liderava as parcerias do Google no Brasil, se mudou para Mountain View, na Califórnia, para se juntar à equipe responsável pelo aplicativo. De lá, ela negocia parcerias do Waze com prefeituras, que podem usar os dados para monitorar o trânsito, e também com empresas de mídia.

“O Rio de Janeiro foi nosso projeto-piloto de parceria com prefeituras. Eles nos procuraram para saber como poderiam integrar nosso banco de dados ao Centro de Operações da prefeitura antes da visita do Papa Francisco, em julho do ano passado”, conta Flávia. Por meio do centro de operações, funcionários da prefeitura podem acompanhar pontos de tráfego intenso na cidade, além de receber relatos de usuários em tempo real sobre cidades e problemas nas vias, como buracos.

O sucesso da parceria com a prefeitura fez a companhia israelense lançar um programa de cooperação com prefeituras no início de outubro deste ano, chamado W10. A ideia é repetir a experiência brasileira em outras dez cidades, como Barcelona, na Espanha, e San Jose, na Costa Rica. O programa gerou o interesse em 15 cidades até agora, entre elas as brasileiras Petrópolis (RJ) e Vitória (ES). “No Brasil, já assinamos o contrato de cooperação com essas duas prefeituras”, diz Flávia. (Veja)


Curtir Twittar Instagram
publicidade
DNA Center

outubro25

Projeto dá direito a transexuais de se valerem da Lei Maria da Penha

Transgêneros e transexuais que se identificam como mulher vão poder acionar a Lei Maria da Penha em casos de violência. O projeto que modifica a lei para beneficiá-las será apresentado na próxima semana na Câmara dos Deputados na tentativa de ser votado nesta legislatura, até o fim do ano.

A deputada federal reeleita Jandira Feghali (PCdoB-RJ), 57 anos, autora do texto, tem pressa na tramitação para aproveitar a atual composição da Casa, mais progressista. "O Congresso vai ficar mais conservador. Se andar agora, é mais fácil", diz. Com a proposta, ela quer "corrigir uma limitação da lei" para "ampliar o direito das vítimas à proteção e facilitar a punição dos agressores". Transgêneros hoje dependem da interpretação da Justiça para se valer da lei. 


Curtir Twittar Instagram
publicidade
escola_escritorio

outubro25

DF e 13 Estados definem governador amanhã

Além da escolha do novo presidente da República, os eleitores de 13 Estados brasileiros e do Distrito Federal vão escolher neste domingo (26) os seus novos governadores. Outros 13 Estados fizeram essa escolha no primeiro turno.

Além do Distrito Federal, Acre, Amazonas, Amapá, Goiás, Pará, Paraíba, Rio de Janeiro, Rondônia, Roraima, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte, Ceará e Mato Grosso do Sul vão às urnas para a escolha dos governadores.

Em seis deles, há empate técnico de acordo com as últimas pesquisas divulgadas pelos institutos Ibope e Datafolha. As eleições em que menos Estados decidiram no primeiro turno seus governadores ocorreram em 1994. Naquele ano, apenas nove governadores foram eleitos na primeira votação. Em comparação, nas eleições de 2010, esse número foi recorde, com 18 Estados decidindo em primeiro turno. As eleições deste ano se igualam ao número de 2002, com 13 eleitos.

Parte dessa falta de candidatos "favoritos" no primeiro turno foi causada pela insatisfação da população. Muitos deles, apesar de bem posicionados nas disputas estaduais, tinham também índice de rejeição superior a 40% nas pesquisas de intenção de voto.

As votações devem ser mais apertadas no Acre, em que Tião Viana (PT) aparece com 53% dos votos válidos e Márcio Bittar (PSDB) com 47%, em Rondônia, onde Confúcio Moura (PMDB) tem 51% contra 49% de Expedito Junior (PSDB), na Paraíba, em que Ricardo Coutinho (PSB) tem 53% contra 47% de Cassio Cunha Lima (PSDB) e no Amazonas, em que José Melo (Pros) tem 53% contra 47% de Eduardo Braga (PMDB). Nos quatro casos, as pesquisas mais recentes são as do Ibope, de 17 de outubro. A margem de erro é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Ainda em situação de empate técnico estão Helder Barbalho (PMDB) com 52% contra 48% de Simão Jatene (PSDB), na disputa pelo governo do Pará (Ibope de 18 de outubro), assim como Reinaldo Azambuja (PSDB), com 51%, contra 49% de Delcídio do Amaral (PT) no Mato Grosso do Sul (Ibope de 20 de outubro).

Em situação menos apertada estão Suely Campos (PP) com 56% contra 44% de Chico Rodrigues (PSB), em Roraima (Ibope de 17/10), Camilo Santana (PT) tem 57% contra 43% de Eunício Oliveira no Ceará (Datafolha de 23 de outubro), e Robinson Faria (PSD) com 54% contra 46% de Henrique Eduardo Alves (PMDB) no Rio Grande do Norte (Ibope de 15 de outubro).

No Centro-Oeste, Rodrigo Rollemberg (PSB) tem 57% contra 43% de Jofran Frejat (PR) no Distrito Federal (Datafolha de 23 de outubro). Em Goiás, a vantagem é de Marconi Perillo (PSDB), com 60%, contra 40% de Iris Rezende (PMDB), de acordo com pesquisa Ibope de 21 de outubro.

No Rio de Janeiro, o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) tem 55% contra 45% de Marcelo Crivella (PRB), segundo pesquisa Ibope de 23 de outubro. No Rio Grande do Sul, a vantagem é de José Ivo Sartori (PMDB), com 59%. Tarso Genro (PT) tem 41% (Ibope, de 24 de outubro). (UOL)


Curtir Twittar Instagram
publicidade
Pet Stop

outubro25

Mega-Sena acumulada pode pagar R$ 60 milhões hoje

A Mega-Sena acumulou novamente e pode pagar um prêmio de nada menos do que 60 milhões de reais neste sábado (25) ao apostador que acertar as seis dezenas do concurso número 1.647.

O sorteio será realizado às 20h (horário de Brasília) no Caminhão da Sorte da CAIXA, que está em Nova Venécia (ES), estacionado na Praça do Granito.

A aposta mínima custa 2,50 reais e pode ser feita até às 18h deste sábado em qualquer casa lotérica do país. Outra opção, válida para clientes Caixa, é fazer a aposta online pelo internet banking. 


Curtir Twittar Instagram
publicidade
Agronorte

outubro25

Exposição na Biblioteca Nacional destaca o trabalho de ilustradores brasileiros

Um panorama da ilustração brasileira por alguns de seus mais destacados artistas pode ser visto até dezembro na exposição Brasil: Incontáveis Linhas, Incontáveis Histórias, aberta no início da noite de hoje (24), no Espaço Cultural Eliseu Visconti da Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro. Ao lado das obras do rico acervo da própria biblioteca, como os livros de Debret e Rugendas, que influenciaram a arte da ilustração no Brasil, integram a mostra o trabalho de 55 ilustradores contemporâneos de livros para crianças e jovens.

A exposição tem curadoria da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ) e da Fundação Biblioteca Nacional (FBN). O trabalho de seleção contou com o olhar especializado dos professores Graça Lima, da Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Alexandre Guedes, do curso de Belas Artes da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). 

As ilustrações contemporâneas que fazem parte da exposição tinham sido selecionadas originalmente para a 51ª Feira do Livro para Crianças de Bolonha, na Itália, ocorrida em março deste ano. O Brasil foi o país homenageado nessa edição da feira.

Durante o evento, o artista brasileiro Roger Melo foi agraciado com o Prêmio Hans Christian Andersen, concedido pela primeira vez a um ilustrador latino-americano. Duas autoras brasileiras, Lygia Bojunga, em 1982, e Ana Maria Machado, em 2000, já haviam recebido o prêmio, mas na categoria escritor.

Por iniciativa dos ministérios da Cultura e das Relações Exteriores, a exposição foi apresentada também nas cidades de Moscou e São Petersburgo, na Rússia. No último mês de agosto, foi levada à 23ª Bienal Internacional do Livro, em São Paulo.

Além de Roger Melo, o outro grande homenageado na mostra é Ziraldo, autor cujos livros estão presentes há décadas no imaginário de várias gerações de brasileiros. Paralelamente à exposição, a Biblioteca Nacional pretende fazer, ao longo dos próximos dois meses, mesas redondas com ilustradores, autores e especialistas em literatura infantil e juvenil brasileira.

Brasil: Incontáveis linhas, Incontáveis Histórias pode ser visitada de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, e aos sábados, das 10h às 14h. O Espaço Cultural Eliseu Visconti da Biblioteca Nacional fica Rua México, s/n, no centro do Rio. (Agência Brasil)


Curtir Twittar Instagram
publicidade
Marcelo Abdon

outubro24

13 Excelentes motivos para beber Whisky

Por *Leonardo Filomeno

Quando penso em whisky (também conhecido como whiskey), várias imagens diferentes vêm à mente. Cowboys em filmes antigos de faroeste, ingerindo a bebida antes de iniciar um tiroteio; bares clandestinos da época da Lei Seca de Chicago para Nova York; ou mesmo aquele destilado com líquido de coloração marrom-acobreado que acompanha um homem em uma mesa de bar.

É inevitável não associar o destilado feito pelo mostro de grãos como uma bebida masculina. Não é para menos, aquele aroma irresistível de whisky, com alto teor alcoólico e notas amaderadas, combina perfeitamente com o nosso paladar.

E se você descobrisse que a bebida pode ser muito benéfica a sua saúde? Pois saiba que o consumo moderado (80 ml por dia) além de não deixá-lo bêbado, pode te ajudar a perder peso, controlar a diabetes, aumentar o bom colesterol, fortalecer o sistema imunológico, entre outras funções.

Quer descobrir 13 excelentes motivos para beber whisky? Confira as razões abaixo!

1- É uma bebida relaxante
Chegou estressando em casa? A dica é tomar uma dose do destilado. Além de reconfortante, relaxa e faz você desligar dos problemas. Além de não dar dor de cabeça ou ressaca no dia seguinte (no caso da compra de um bom whisky)

2- Bom custo-benefício
Uma boa cerveja custa, em média, R$ 20. Um bom whisky, R$ 120. A diferença é que uma cerveja depois de aberta deve ser consumida toda ou estraga. O whisky, você consome uma dose e guarda o resto para a próxima vez. Uma garrafa pode durar 10 doses, ou seja, dez dias de consumo por R$120. Já a breja custaria R$ 200 os mesmos 10 dias.

3- Economiza o seu dinheiro
Quando você vai ao bar e não tem dinheiro, acha que a cerveja é a bebida mais barata. Ledo engano! Apesar da garrafa sair mais em conta, você estará consumindo 4,5% de teor alcoólico por 600 ml e ainda dividindo com seus amigos. Uma dose de whisky você vai pagar o dobro pela garrafa de breja, mas ele proporciona 40% de teor alcoólico e você dificilmente vai compartilhar com outras pessoas.

Além do que, com um copo de whisky você não precisa tomar rápido e extremamente gelado, consumindo o destilado por muito mais tempo, diferente da cerveja

4- Pode ser um grande investimento
Além de não se deteriorar com o tempo, colecionar whisky pode ser um grande investimento. Algumas garrafas raras ficam cada vez mais caras com o passar do ano. Uma boa escolha e paciência, pode render bons frutos financeiros no futuro.

5- Ajuda a perder peso
Muitas pessoas associam a bebida com o desenvolvimento de uma barriga de cerveja ou a perda de tônus muscular devido ao consumo excessivo de álcool. É verdade. Mas, bebendo com moderação ele pode até te ajudar a perder peso. Ele tem 0% de gordura e apenas 100 calorias (a dose), abaixo da cerveja (120 calorias) cachaça (140) e vodka (108). Além disso, os açúcares da bebida são simples que rapidamente são usadas como energia para o corpo.

6- Combate gripes e resfriados
Alguns estudos têm defendido a capacidade do whisky impulsionar o sistema imunológico. O álcool tem um papel tradicional na prevenção da doença e melhorar a função do sistema imunológico, mas provas concretas nunca estiveram a mão. Agora, vemos que os antioxidantes e níveis de traços de vitaminas do whisky pode estimular o sistema imunológico, ajudando assim a combater resfriados normais e gripes.

7- Serve também contra infecção
Todos esses filmes antigos onde homens derramavam whisky em uma ferida para a desinfecção não é só ficção! Por sua pureza e alta concentração alcoólica, você pode derramar whisky em uma ferida fresca para se certificar de que ela não infeccione.

8- Controla a diabetes
O whisky tem sido consistentemente apontado para reduzir as chances de diabetes, às vezes em até 30-40%. Uma quantidade moderada da bebida pode melhorar significativamente a capacidade do corpo de regular os níveis de insulina e glicose, diminuindo assim a possibilidade de desenvolver diabetes.

9- Diminui a demência
Estudos têm demonstrado que o whisky pode aumentar com sucesso o seu desempenho cognitivo e reduzir suas chances de desenvolver demência e doença de Alzheimer. Embora os estudos estão em andamento e há um pouco de controvérsia sobre o álcool como um método de tratamento/prevenção, não há como negar que o ácido elágico é extremamente poderoso em termos de combate contra os radicais livres no organismo.

Estes radicais livres são frequentemente associados com a interrupção de vias neurais e contribuindo para o lento declínio em direção a demência. A bebida pode reduzir esse declínio mental e melhorar a nossa qualidade de vida à medida que envelhecemos.

10- Contribui com a saúde do coração
Uma série de estudos têm mostrado que o whisky pode ser um bom remédio para proteger a saúde do coração. Como nossos corpos envelhecem, os nossos sistemas se tornam mais frágeis, resultando em funcionamento menos eficiente de vários sistemas de órgãos, e fraqueza do nosso sistema cardiovascular.

No entanto, um estudo revelou recentemente que aqueles que consomem uma quantidade moderada de whisky tem quase 50% de chance menor de sofrer um derrame ou ataque cardíaco, o que é uma notícia excepcional para aqueles em risco de problemas cardiovasculares.

11- Diminui is coágulos de sangue
O whisky tem mostrado significante para evitar a coagulação do sangue. A coagulação do sangue é importante quando você está ferido para você parar de perder sangue, mas, internamente, os coágulos de sangue podem obstruir seus vasos sanguíneos ou artérias, que pode ser desastroso. A aterosclerose, que geralmente ocorre devido a um grande acúmulo de colesterol, pode combinar com coágulos de sangue para resultar em trombose, ataques cardíacos, acidentes vasculares cerebrais e morte. O whisky deixa o sangue mais fino, reduzindo significativamente as suas chances de excesso de coagulação.

12- Aumenta o bom colesterol
Ele também aumenta a quantidade de colesterol “bom”, o que neutraliza os efeitos do “mau” colesterol, protegendo ainda mais o seu coração.

13- Previne contra o câncer e outras doenças
O câncer é uma das doenças mais devastadoras e globalmente relevantes conhecidas pelo homem. Há novos sistemas anticâncer e modismos o tempo todo, mas muitos deles são apenas isso, modas populares, com muito pouca informação medicinal para apoiá-la. No entanto, o whisky tem um nível extremamente elevado de ácido elágico, um dos mais poderosos compostos antioxidantes que podemos consumir.

Um antioxidante é um composto que neutraliza radicais livres, os subprodutos nocivos do metabolismo celular, que causam uma grande variedade de doenças, incluindo o cancro, doenças do coração, doença de Alzheimer, e o envelhecimento prematuro. Este poderoso antioxidante faz whisky uma medida preventiva muito eficaz contra o câncer.

Importante: beba menos, beba melhor
Embora estes benefícios para a saúde (e seu bolso) podem soar maravilhosos, há também um lado perigoso para beber whisky. O alcoolismo e consumo excessivo de álcool são ambos muito prejudicial para a sua saúde geral, e pode desfazer quaisquer possíveis coisas boas que quantidades moderadas que o destilado pode oferecer.

Portanto, fique atento de quanto álcool você vai consumir, especialmente se você tentar beber pequenas quantidades a cada dia. Sua tolerância aumenta, e você pode sentir o desejo de continuar a beber até sentir a sensação alcoólica no seu organismo. Consuma pequenas quantidades de whisky para melhores e mais saudáveis ​​resultados. 

*Articulista do Manual do Homem Moderno - Portal R7 


Curtir Twittar Instagram

outubro24

À véspera de eleição, dólar cai 2,26%, a R$ 2,457, maior recuo em 11 meses

O dólar comercial fechou em queda de 2,26%, a R$2,457 na venda nesta sexta-feira (24), na última sessão do mercado antes do segundo turno das eleições. Na véspera, o dólar chegou a atingir R$ 2,51, no maior nível desde 2005.

A queda desta sexta foi a maior desde 18 de novembro de 2013, quando o dólar fechou em baixa de 2,3%.

Ainda assim, o dólar fechou a semana acumulando alta de 1,01%.

No mês, até agora, os ganhos são de 0,37%. No acumulado do ano, o dólar tem alta de 4,22%.

O mercado já oscilou o suficiente ao longo do período pré-eleitoral, e agora está compensando um pouco do movimento exagerado dos últimos dias, segundo analistas.

Na véspera, o dólar chegou a R$ 2,51, diante da perspectiva de reeleição de Dilma Rousseff (PT), que tem aparecido à frente nas pesquisas.

"O que aconteceu é que exageraram ontem", afirmou o estrategista da corretora Coinvalores Paulo Celso Nepomuceno à agência de notícias Reuters.

A queda do dólar nesta sessão foi sustentada também por expectativas de que o BC mantenha seu programa de intervenções diárias no caso de reeleição de Dilma.

Um governo de Aécio Neves (PSDB), por outro lado, interromperia "imediatamente" os leilões diários, como já afirmou à Reuters o indicado pelo tucano ao Ministério da Fazenda, Armínio Fraga.

Profissionais do mercado ouvidos pela Reuters também falaram de rumores sobre levantamentos eleitorais realizados por bancos apontando ainda empate técnico entre os dois candidatos, diferentemente do que indicaram duas pesquisas eleitorais na véspera.

Nesta manhã, pesquisa do instituto Sensus trouxe o tucano à frente, mas com menor vantagem em relação à pesquisa anterior, o que também ajudava. (UOL)


Curtir Twittar Instagram

outubro24

Eleitor gastará em média 42 segundos para votar na urna biométrica

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou hoje (24) a estimativa de tempo que o eleitor deve levar para votar na urna eletrônica, no domingo (26), segundo turno das eleições. Segundo o TSE, nos estados onde a disputa para governador foi definida no primeiro turno, o eleitor precisará, em média, de 18 segundos para concluir a votação na urna comum. Nas urnas biométricas, o tempo de votação previsto é 42 segundos. Neste caso, o eleitor vai escolher somente o presidente da República. 

A previsão do tempo de votação em 13 estados e no Distrito Federal, locais onde haverá o segundo turno, o eleitor deve gastar 29 segundos na urna comum e 53 segundos na urna biométrica para votar no candidato a governador e a presidente.

A estimativa leva em conta desde o momento em que o eleitor se apresenta ao mesário e vai à cabine de votação até o último voto na urna eletrônica. No primeiro turno, o tempo de votação foi 61 segundos na urna comum e 85 segundos, na urna biométrica. Foram eleitos deputados federais e estaduais, senadores e 13 governadores.


Curtir Twittar Instagram

outubro24

Eleitor fora do domicílio terá de justificar a ausência da votação em 60 dias

O eleitor que estiver fora do domicílio eleitoral neste domingo (26) terá até 60 dias para preencher o Requerimento de Justificativa Eleitoral e justificar a ausência do voto. O documento pode ser acessado gratuitamente nos sites do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e dos tribunais regionais eleitorais, cartórios eleitorais, postos de atendimento ao eleitor e fornecido, no dia da votação, nos locais destinados à justificativa.

Para estar quites com a Justiça Eleitoral, o eleitor que estiver fora do domicílio poderá procurar, no domingo, os postos de justificativa, incluídos nos sites dos tribunais regionais, preencher o requerimento e entregá-lo aos mesários.

Caso o requerimento não seja entregue no dia da votação, o eleitor tem até 60 dias, a partir de segunda-feira (27), para levá-lo pessoalmente a qualquer cartório eleitoral ou enviá-lo, via postal, ao juiz da zona eleitoral onde está inscrito. Nas duas hipóteses, o requerimento deve ser acompanhado de documento comprovando as razões da ausência. Conforme técnicos do TSE, serão aceitos passagens ou atestado médico.

De acordo com os técnicos, quem deixou de votar no primeiro turno, mesmo sem justificar a ausência, poderá votar normalmente no domingo. Os eleitores que estiverem nessa situação terão de, obrigatoriamente, justificar ausência até 4 de dezembro. Não há limite para justificativas. 


Curtir Twittar Instagram

outubro24

Oposição vai pedir que Lula e Dilma sejam investigados

Os partidos de oposição vão pedir nesta sexta-feira (24) que a Procuradoria-Geral da República investigue se o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e sua sucessora, Dilma Rousseff (PT), sabiam do esquema de corrupção na Petrobras. Como revela reportagem de VEJA, em depoimento prestado na última terça-feira, o doleiro Alberto Youssef, que atuava como banco clandestino do petrolã, o implica a presidente e seu antecessor no esquema de corrupção.

DEM, PSDB, PPS e SD vão subscrever o pedido. O objetivo é pedir que a PGR apure a eventual participação de Dilma e Lula no esquema. O presidente da República só pode ser investigado e denunciado pelo procurador-geral. O líder do DEM na Câmara, Mendonça Filho, diz que as revelações explicam o empenho do governo na tentativa de minar a CPI da Petrobras no Congresso. "O governo está criando obstáculos para a investigação desde o primeiro momento. Uso eleitoral é esconder esses fatos tenebrosos", diz ele.

A representação dos partidos oposicionistas deve ser entregue nesta tarde por advogados das siglas, já que a maior parte dos parlamentares está em seus Estaos de origem.

VEJA mostrou que, em depoimento prestado na última terça-feira, Youssef afirmou que Dilma e Lula sabiam das irregularidades na Petrobras, que era usada de forma sistemática para desviar recursos que abasteciam os caixas do PT e de outros partidos aliados. Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da empresa, também está preso por sua participação nos desvios. Ele e Youssef firmaram um acordo de delação premiada, o que os obriga a comprovar as afirmações que fizerem para ter a pena reduzida. (Exame)


Curtir Twittar Instagram
publicidade
DNA Center

outubro24

Confinamento a pasto é alternativa para ganho de peso diante da estiagem

A estiagem deste ano foi além do esperado e as chuvas ainda estão longe do ideal para o período. Mas algumas alternativas podem ser adotadas para manter o ritmo de ganho de peso no confinamento, quando as chuvas chegarem com intensidade suficiente para a manutenção das pastagens. Conheça o confinamento a pasto, no quadro Rebanho Gordo desta semana.

Pela aparência, não parece que as novilhas, fruto de cruzamento de animais nelore com rubia galega, estão confinadas. Com idades entre 14 e 15 meses, o lote com 80 cabeças tem ganho de peso de aproximadamente 1,5 Kg por dia. Aos 18 meses, todas serão abatidas.

A opção por essa estratégia, que o técnico em agropecuária João Henrique Orfanelli chama de confinamento a pasto, foi a solução encontrada pela fazenda Gamada, do município de Nova Canaã do Norte, em Mato Grosso, para manter o ritmo de desempenho dos animais sem precisar colocar o gado no confinamento tradicional, durante o período de chuvas. Ainda teve economia em estrutura.

– Sai mais barato e a propriedade não precisa ter toda aquela estrutura para engordar o boi no cocho. O investimento que você não fez com estrutura de cocho, produção de volumoso, você tem essa alternativa de suplementação – explica Orfanelli.

A proposta é simples: o gado come ração e capim, ao mesmo tempo. O acesso ao pasto e ao cocho é livre. O segredo para não haver desperdício de nenhuma das duas fontes de alimentação é ter um controle rigoroso do consumo dos animais, com tudo anotado e calculado. Todos os dias, antes de servir o alimento, é feita a leitura de cocho. Nem muito, nem pouco. A quantidade ideal de sobra de ração corresponde ao nível chamado de leitura 1, com menos de um quilo de comida. Esse volume significa que os animais estão comendo dentro do programado para o peso deles e o suficiente para manter o ganho esperado por dia. No confinamento a pasto, cada animal come, diariamente, em torno de 6 Kg de ração.

– Inicia com 0,5% e vai elevando essa proporção do peso. Ai vai a 1%; 1,2%; 1,3%; 1,4% até o animal se limitar no cocho. Aí que vem a importância da leitura de cocho – ensina o técnico.

Na fazenda Gamada, o confinamento a pasto serve de apoio para o confinamento tradicional, que tem capacidade reduzida, apenas para 500 animais. A propriedade tem parceria com uma rede de supermercados e precisa manter a cota mensal de abates, mesmo no tempo da chuva. Para evitar perdas de alimento e também reduzir problemas de casco, a solução foi investir na cobertura dos cochos e o retorno foi maior que o esperado.

Antes de cobrir toda a linha de cocho, foi feito um experimento para saber se a sombra faria diferença no desempenho dos animais. Separou um grupo de garrotes nelore contemporâneos em dois lotes, deixando um na parte coberta e o outro na parte descoberta. O resultado, depois de três meses com o gado recebendo o mesmo tipo de alimentação, foi um ganho de peso em 100 gramas a mais por dia por animal que estava sob a cobertura.

Essa diferença de ganho de peso, segundo o tecnólogo em Zootecnia Cleber Teixeira Lima, se deve ao conforto térmico que os animais têm enquanto se alimentam. O telhado se estende por dois metros para dentro do curral e cobre todo o pé de cocho.

– O desperdício é zero, além de fornecer ao animal uma condição de conforto em relação ao cocho, mesmo no tempo não chuvoso, o que permite ao animal se alimentar na sombra – esclarece Lima. (Canal Rural)


Curtir Twittar Instagram
publicidade
escola_escritorio

outubro24

Mesmo com alta do dólar, gastos no exterior batem recorde para setembro

A forte alta do dólar registrada no mês passado não impediu que os brasileiros continuassem gastando fortemente no exterior. Segundo números divulgados nesta sexta-feira (24) pelo Banco Central, as despesas lá fora somaram US$ 2,38 bilhões no mês passado, novo recorde para meses de setembro.

O recorde anterior, para setembro, havia sido registrado em 2013 (US$ 2,14 bilhões em despesas no exterior). O gasto de setembro deste ano também foi o segundo maior para todos os meses, perdendo apenas para julho deste ano (US$ 2,41 bilhões). A série histórica do BC para as contas externas tem início em 1947.

Dólar dispara em setembro
O recorde de gastos de brasileiros no exterior para meses de setembro aconteceu em um mês de forte alta do dólar. No mês passado, o dólar avançou 9,33%, fechando em R$ 2,44. Foi a maior valorização mensal da moeda norte-americana desde setembro de 2011, quando o avanço foi de 18,15%, segundo a agência Reuters.

No fim do ano passado, a moeda americana estava cotada ao redor de R$ 2,34. Em janeiro e fevereiro deste ano, oscilou por volta de R$ 2,40. Em agosto deste ano, o dólar teve queda de 1,36% em relação ao fim de julho, fechando o mês passado em R$ 2,23.

O dólar mais alto encarece as passagens e os hotéis cotados em moeda estrangeira, além dos produtos comprados lá fora. Segundo analistas, entre os fatores que impulsionam as despesas de brasileiros no exterior estão o aumento da renda no Brasil e os preços mais baratos de produtos em outros países.

Especialistas lembram, porém, que as famílias planejam as viagens ao exterior com certa antecedência, de modo que a forte alta do dólar registrada no mês passado pode ter pego de surpresa parte dos viajantes (aqueles que não compraram moeda norte-americana de antemão). Também encareceu os gastos com cartões de crédito e débito no exterior.

"O dólar tem um impacto [nos gastos]. A gente sabe que essa conta é sensível à variação do dólar. É possível que um dólar mais elevado, mais caro, como o registrado no ultimo mês, venha a se refletir nos [gastos dos] próximos meses. Há uma defasagem porque as pessoas se programam com uma certa antecedência [para viajar]. Há um crescimento, mas também há uma moderação", declarou o chefe do Departamento Econômico do BC, Tulio Maciel.

Alta do IOF
As despesas de brasileiros no exterior batem recordes mesmo com a adoção, no fim de 2013, de medidas para conter esses gastos. A alíquota do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) – incidente nos pagamentos em moeda estrangeira feitos com cartão de débito, saques em moeda estrangeira no exterior, compras de cheques de viagem (traveller checks) e carregamento de cartões pré-pagos – foi elevada de 0,38% para 6,38% no fim do ano passado. Com isso, essas operações passaram a ter a mesma tributação dos cartões de crédito internacionais.

Acumulado do ano e histórico
Segundo os números do BC, as despesas no exterior também bateram recorde nos nove primeiros meses deste ano, quando somaram US$ 19,64 bilhões. O recorde anterior foi registrado no mesmo período de 2013, quando os gastos de brasileiros lá fora somaram US$ 18,64 bilhões.

Em 2013, os gastos de brasileiros no exterior somaram US$ 25,3 bilhões e bateram recorde para um ano inteiro, contra US$ 22,2 bilhões nos 12 meses anteriores. Em 2011, as despesas dos nossos turistas lá fora haviam somado US$ 21,2 bilhões.

Até 1994, quando foi criado o Plano Real para conter a hiperinflação no país, os gastos de brasileiros no exterior não tinham atingido a barreira dos US$ 2 bilhões. Mas, naquele ano, quando o real foi ao equiparado ao dólar, as despesas somaram US$ 2,23 bilhões. Entre 1996 e 1998, elas oscilaram entre US$ 4 bilhões e US$ 5,7 bilhões.

Com a maxidesvalorização cambial de 1999 e o dólar ultrapassando R$ 3 em um primeiro momento, as despesas lá fora também ficaram mais caras. Os gastos voltaram a recuar e ficaram, naquele ano, próximo de US$ 3 bilhões.

As despesas de brasileiros fora do país voltaram a atingir a barreira de US$ 5 bilhões por ano apenas em 2006. Desde então, têm apresentado forte crescimento: em 2007, 2008 e 2009, atingiram, respectivamente, US$ 8,2 bilhões, US$ 10,9 bilhões e US$ 10,8 bilhões. (G1)


Curtir Twittar Instagram
publicidade
Pet Stop

outubro24

Youssef diz que Lula e Dilma sabiam de tudo sobre o esquema de corrupção da Petrobras, segundo a Veja

A presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em evento de campanha em São Bernardo do Campo

O doleiro Alberto Youssef teria dito para a Polícia Federal que tanto o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva quanto a atual presidente Dilma Rousseff “sabiam de tudo” sobre o esquema de corrupção da Petrobras, segundo reportagem da Veja.

De acordo com a revista, o doleiro disse, durante um depoimento nesta terça-feira em Curitiba, que "o Planalto sabia de tudo!". Indagado sobre quem, ele teria citado os nomes da presidente e do ex-presidente.

A matéria é capa da publicação, que deverá ser divulgada nesta sexta-feira com mais detalhes sobre o depoimento do doleiro.

Alberto Youssef foi preso em março deste ano por envolvimento em suspeitas de corrupção e desvio de recursos investigados pela Operação Lava Jato. A estimativa é de que ele tenha movimentado cerca de R$ 10 bilhões.

Assim como Paulo Roberto Costa, o doleiro fez um acordo de delação premiada com o Ministério Público para tentar reduzir a sua pena. (Exame)


Curtir Twittar Instagram
publicidade
Agronorte

outubro24

Pesquisa inédita do Ministério da Saúde mostra que cresceu a prática de exercício em academias

O brasileiro tem se exercitado mais. Pesquisa do Ministério da Saúde aponta que hoje 33,8% da população pratica atividade física regularmente, um crescimento de 12,6% nos últimos cinco anos. Os dados inéditos, do estudo Vigitel 2013, indicam uma mudança no comportamento da população adulta, que está mais atenta às mensagens de promoção à saúde e preocupada em adotar estilo de vida mais saudável.

Na busca por atividades físicas, a musculação tem ganhado cada vez mais adeptos no Brasil, enquanto o futebol reduz a participação na rotina da população. O percentual de entrevistados que disseram praticar musculação cresceu 50% entre 2006 e 2013, enquanto o índice dos que jogam bola caiu 28% no período. Segundo a pesquisa, 18,97% dos adultos hoje optam pelas academias, contra 14,87% que dizem praticar futebol.

Entre os homens, o futebol continua sendo o esporte preferido. Na hora de se exercitar, 26,75% da população masculina recorre à paixão nacional. Mas, mesmo nesse grupo, o índice caiu: oito anos atrás, mais de 35% diziam jogar bola regularmente. Em segundo lugar, esse público realiza mais caminhadas, seguido da musculação.

Apesar das mudanças no perfil da atividade física da população, com a crescente participação da musculação, a pesquisa mostrou que a caminhada permanece como o exercício mais frequente entre os brasileiros. Do total de entrevistados que pratica alguma atividade física, 33,79% disseram fazer caminhadas. Em 2006, o índice era 10% maior. O público feminino é o mais fiel nesse exercício, com 43,98% de adeptas, seguida pela musculação e pela ginástica.

Para a diretora de Vigilância e Promoção da Saúde do Ministério da Saúde, Deborah Malta, o crescimento da prática da musculação demonstra maior interesse da população brasileira em ter melhor qualidade de vida e mais saúde. “A caminhada, geralmente, é muito popular junto ao publico feminino, e a primeira atividade física que a população escolhe para começar a se exercitar. Já o futebol é preferido pelos homens, mais jovens, e está muito arraigado na cultura do país. Não raro, amigos se encontram para jogar uma partida de futebol no fim de semana. Já a musculação, é uma atividade contratual, em que é necessário se matricular, buscar um estabelecimento e passa a ser um compromisso agendado na semana”, frisou.

O estudo Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), realizado em parceria com o Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde da Universidade de São Paulo (NUPENS/USP), ouviu 53 mil pessoas nas 26 capitais e no Distrito Federal.

IMPACTO NA SÁUDE – Deborah ressalta que para sair da estatística de sedentarismo não precisa praticar esporte com intensidade vigorosa, basta reservar um tempo e movimentar o corpo. Pequenas atitudes podem fazer a diferença no cotidiano, como estacionar o carro um pouco distante do local a que se destina e finalizar o trajeto a pé, caminhar a pé até ao trabalho, subir pequenos lances de escada ao invés de utilizar o elevador, brincar com os filhos, dançar, andar de bicicleta, passear com o cachorro e outras atividades que possam dar alegria e prazer. “Muitos problemas de saúde dos brasileiros poderiam ser prevenidos com ações simples, como uma caminhada de 30 minutos”, destaca.

A Organização Mundial de Saúde estima que pessoas sedentárias têm entre 20% e 30% de aumento do risco de mortalidade, em especial por doenças crônicas. A Atividade física regular reduz o risco de doença cardiovasculares, como hipertensão, diabetes, câncer de mama e de cólon, além de depressão.

Pelas considerações da OMS, entende-se atividade física suficiente no tempo livre a prática de, pelo menos, 150 minutos semanais de atividade física de intensidade leve ou moderada ou de, pelo menos, 75 minutos semanais de atividade física de intensidade vigorosa.

Gráfico 1 – Atividade física praticada pelos entrevistados (Vigitel 2013)

 Gráfico 1

 

GRÁFICO 2 – Prevalência de prática de caminhada para ambos os sexos (Vigitel 2006 a 2013)

Gráfico 2

 

GRÁFICO 3 – Prevalência de prática de musculação para ambos os sexos (Vigitel 2006 a 2013)

Gráfico 3  

 

GRÁFICO 4 – Prevalência de prática de futebol para ambos os sexos (Vigitel 2006 a 2013)

 Gráfico 4

Fonte: Ministério da Saúde


Curtir Twittar Instagram
publicidade
Marcelo Abdon

outubro24

Confiança do consumidor atinge nível mais baixo desde abril de 2009, diz FGV

O Índice de Confiança do Consumidor caiu 1,5% de setembro para outubro, divulgou hoje (24) a Fundação Getúlio Vargas, na Sondagem das Expectativas do Consumidor. A queda levou o indicador ao menor nível desde abril de 2009, com 101,5 pontos.

De acordo com a pesquisa, que ouviu pessoas em 2,1 mil domicílios em sete capitais, a maior queda foi registrada no Índice da Situação Atual (ISA), em que os entrevistados se manifestam sobre o presente. O ISA foi 2,9% menor no mês de outubro e também registrou o pior resultado desde abril de 2009.

Outro componente do ICC, o Índice de Expectativas (IE) teve queda menos intensa, de 0,6%, que não foi suficiente para inverter a tendência positiva da média móvel trimestral. Para a coordenadora da pesquisa, Viviane Seda, o mercado de trabalho e a inflação são as maiores preocupações dos consumidores.

A satisfação dos consumidores com as finanças pessoais também teve influência negativa na sondagem, com queda de 2,3% em relação a setembro e de 3,4% no trimestre, chegando ao pior nível desde julho de 2009. Segundo a FGV, diminuiu de 20,7% para 19,2% a proporção de consumidores que avaliam a situação como boa e aumentou de 13,9% para 14,96% os que a julgam ruim.

A pesquisa também indicou que houve queda de 3,6% na intenção de comprar bens duráveis nos próximos seis meses. Os consumidores que preveem maiores gastos ficaram menos numerosos, ao passar de 14,3% para 14,1%, e os que projetam menores gastos passaram de 30,2% para 33%.

Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, o ICC teve queda 8,9%, menos intensa do que a registrada em setembro, quando o índice de 2014 tinha ficado 9,5% abaixo do de 2013. (Agência Brasil)


Curtir Twittar Instagram

outubro24

Evaristo Costa é excluído da cobertura das eleições na Globo

Na edição de quarta-feira (22) do Jornal Hoje, Evaristo Costa, 38 anos, estava visivelmente nervoso. O apresentador cometeu alguns erros ao ler as notícias no teleprompter.

Chegou a pedir desculpas e corrigir informações erradas. Sempre risonho e ótimo no improviso, demonstrava estar tenso e menos concentrado.

Não seria nada demais, apenas um dia ruim. Mas agora se sabe o motivo de seu desconforto indisfarçável nos últimos dias: Evaristo Costa está sob forte pressão.

De acordo com o jornalista Daniel Castro, do Notícias da TV, o apresentador foi cortado da cobertura especial da Globo no segundo turno, no próximo domingo.

No primeiro turno, no dia 5, Costa saiu de sua base, em São Paulo, para integrar a equipe principal de eleições da emissora, no Rio.

No estúdio, Evaristo ficou responsável pela apresentação dos mapas de apuração. Interagiu o tempo todo com William Bonner e Heraldo Pereira.

Equívocos cometidos por ele, como dizer que o Acre o Pará ficam no Nordeste, teriam resultado na decisão de tirá-lo da escala de eleições.

Em seu lugar entrará Ana Paula Araújo, que já teve a função de interpretar os dados da apuração em pleitos anteriores.

Titular do Bom Dia Brasil, ao lado de Chico Pinheiro, ela é uma espécie de curinga no jornalismo global: apresenta eventualmente o Jornal Nacional e o Fantástico, além de comandar o desfile de escolas de samba do Rio.

No início de 2013, Evaristo Costa viveu a maior ascensão de sua carreira: entrou para o rodízio de apresentadores eventuais do JN. Chegou a ser apontado como provável substituto de William Bonner.

Há 10 anos o jornalista divide a bancada do Jornal Hoje com Sandra Annenberg. Os dois formam uma das duplas mais populares da TV. 


Curtir Twittar Instagram

outubro24

Energético pode causar arritmia e levar à morte

O aumento do consumo de energéticos pode representar perigo para a saúde pública. De acordo com o presidente do Grupo de Estudos de Cardiologia do Esporte da SBC (Sociedade Brasileira de Cardiologia), Daniel Jogaib Daher, o perigo existe por causa da presença de cafeína, taurina, ginseng e guaraná, entre outros ingredientes na bebida, o que podem desencadear arritmia e, em casos extremos, levar à morte.

Segundo o especialista, o maior problema é o consumo da bebida energética nas baladas, como se fosse um refrigerante.

― Como são, na verdade, estimulantes neuropsíquicos, os energéticos podem ser muito deletérios [nocivos à saúde] para o corpo.

De acordo com um estudo publicado na revista Frontiers in public Health, logo após a ingestão o problema é a cafeína, mas em médio e longo prazo os efeitos podem ser cumulativos.

Os pesquisadores identificaram como efeitos possíveis do consumo de energéticos por crianças as arritmias, hipertensão, estimulação do sistema nervoso central, vômitos, acidose metabólica, convulsão, parada cardíaca e mesmo morte. Nos adultos, a bebida tende a aumentar o risco de hipertensão e de diabetes, já que a cafeína reduz a sensibilidade à insulina e aumenta o risco de aborto espontâneo. (R7)


Curtir Twittar Instagram

outubro24

Termina hoje propaganda eleitoral no rádio e na televisão

A dois dias do segundo turno das eleições, termina nesta sexta-feira (24) a propaganda eleitoral gratuita veiculada no rádio e na televisão. Também é a data limite para a divulgação paga de propaganda eleitoral na imprensa escrita e para a realização de debates. Nesse último caso, a transmissão não deve ultrapassar a meia-noite. É nesta sexta-feira o último dia para que os presidentes das mesas comuniquem à Justiça Eleitoral que não receberam o material destinado à votação de domingo (26).

Carro de alto-falante ou amplificadores de som para divulgação de propaganda está permitido até sábado (25), véspera da votação, entre as 8h e as 22h. A distribuição de material gráfico, a realização de caminhadas, passeatas e carreatas, além da divulgação de jingles ou mensagens dos candidatos podem ser feitas também até as 22h.

No segundo turno das eleições, neste domingo (26), cerca de 143 milhões de eleitores estão aptos a votar para presidente da República e governadores de 13 estados e do Distrito Federal. Apesar do horário de verão nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, a votação será feita das 8h às 17h, obedecendo o horário local.

Com o horário de verão, o Acre passou a ter três horas a menos em relação ao horário de Brasília. Por isso, a divulgação dos números das eleições para presidente da República começará às 20h (de Brasília). Os resultados para governador nos 13 estados e no DF serão conhecidos logo após o encerramento da votação. 


Curtir Twittar Instagram

outubro23

Pequisa revela que mutação protege latinas do câncer de mama

Cientistas americanos identificaram uma mutação comum nas mulheres latinas de ascendência indígena que as protege de desenvolver câncer de mama ao longo da vida.

Vinte por cento das mulheres latinas têm em seu DNA uma cópia desta variação genética, que reduz em 40% o risco de virem a desenvolver um tumor maligno, enquanto 1% tem duas cópias, o que diminui os riscos em 80%.

Cada gene contém informação genética do pai e da mãe. As mutações podem estar em uma ou nas duas cópias genéticas.

O estudo dos cientistas da Universidade da Califórnia, chefiados pelo doutor Elad Ziv, foi publicado nesta segunda-feira no último número da revista americana Nature Communications. 

"Detectamos algo que é realmente importante para a saúde das latinas", afirmou a doutora Laura Fejerman, co-autora do estudo, realizado durante vários anos.

A mutação, que representa uma pequena mudança nos 3 bilhões de letras que o genoma humano contém, é um polimorfismo de nucleotídeo simples (SNP, na sigla em inglês) que protege as latinas principalmente das formas mais agressivas de receptores de estrogênios negativos da doença, que se traduzem nos prognósticos mais graves.

A variação é encontrada no cromossomo 6, perto do gene codificador para a recepção de estrogênios conhecidos como ESR1.

A equipe do doutor Ziv encontrou estes resultados após estudar 977 casos de mulheres latinas com câncer e outros 722 de mulheres latinas saudáveis.

Posteriormente, comparou os dados extraídos com dois estudos feitos na Colômbia e no México de um total de 3.140 mulheres doentes e 8.184 sadias.

"Seria muito interessante poder usar estes resultados para entender melhor como isto protege dos receptores de estrogênios negativos de câncer de mama, porque agora mesmo não temos forma de prevenir este tipo de câncer de mama", afirmou Ziv.

"Depois dos primeiros resultados, pensamos que havia algum tipo de mutação genética que levaria a um aumento do risco nos europeus. Mas o que o estudo demonstra, afinal, é que as latinas e indígenas têm uma variação que as protege", acrescentou o cientista.

Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos, coletados entre 2007 e 2009, as mulheres brancas têm 13% de probabilidade de desenvolver um tumor deste tipo; as negras, 11%, e as latinas, menos de 10%. (AFP)


Curtir Twittar Instagram
publicidade
DNA Center

outubro23

A quatro dias da eleição, pesquisa aponta empate técnico entre Robinson e Henrique

O resultado da pesquisa do Instituto Certus ao Governo do RN conseguiu agradar a dois públicos distintos. Os eleitores de Robinson Faria (PSD) ficaram satisfeitos porque o candidato se manteve à frente na pesquisa, com 51% das intenções de votos válidos, fato que representa um crescimento de quase 10 pontos se comparado a eleição de primeiro turno. Já os eleitores de Henrique Eduardo Alves (PMDB) gostaram do resultado porque deu 48% para o peemedebista, o que significou uma queda da distância aberta por Robinson Faria no primeiro levantamento feito neste segundo turno, divulgado pelo Ibope na semana passada e que dava 8 pontos de vantagem para o peessedista.

Nos votos totais, Robinson Faria conseguiu 43,84%, contra 41,19% de Henrique Eduardo Alves. Cerca de 11% dos entrevistados disseram não votar em nenhum dos dois. Outros 3,7% afirmaram que ainda não sabem quem escolherão para ser governador do Estado a partir de primeiro de janeiro – a votação no segundo turno já ocorre neste domingo.

Para o eleitor de Robinson, a notícia boa: com 51% dos votos válidos segundo a Certus, o candidato do PSD cresceu quase 10 pontos se comparado a votação em primeiro turno, quando ele obteve 42% dos votos válidos. Se considerado os votos totais, também houve crescimento considerável, sobretudo, se comparado a última pesquisa da Certus no RN, realizada no dia 23 de setembro, quando Robinson teve apenas 36% das intenções de voto – hoje ele tem quase 44%.

Além disso, a vantagem de Robinson Faria sobre Henrique Eduardo Alves representa, se fazendo o comparativo com o número de eleitores no RN, uma vantagem de cerca de 100 mil votos. “A nossa caminhada cresce a cada dia no Rio Grande do Norte com apoio das pessoas simples, do homem do campo, do autônomo que quer ver seu Estado crescer e prosperar. É a verdade das ruas confirmando a vitória da convicção sobre a conveniência. Juntos, acreditamos em um RN melhor e vamos chegar lá!”, destacou Robinson, por meio de nota enviada pela assessoria de imprensa dele.

No entanto, Henrique também tem o que comemorar, apesar de não ter feito qualquer manifestação pública sobre os números. Isso porque o peemedebista cresceu de 46% das intenções de voto apontadas pelo Ibope na semana passada, para 48%. Além disso, o adversário dele caiu de 54% para 52%. Isso, talvez consequência da série de ataques feitos na propaganda eleitoral e nas inserções de Henrique contra Robinson, relacionadas, inclusive, ao caso dos apartamentos do Minha Casa, Minha Vida, que o peessedista já explicou.

Além disso, outro ponto positivo para Henrique é que, na pesquisa do Ibope, a rejeição ao nome dele deu 47% e, no levantamento da Certus, “apenas” 35,8%. Robinson Faria seria rejeitado por 28,5% dos entrevistados, segundo a Certus. Pouco mais de 25% dos eleitores afirmaram não rejeitar nome algum.

A pesquisa da Certus ouviu 1.510 pessoas, entre os dias 18 e 22 de outubro, e tem margem de erro de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. O intervalo de confiança é de 95%, o que significa que se fosse realizada 100 pesquisas nesse período, em 95 delas os resultados estariam dentro da margem de erro.

A pesquisa tem registro no TSE de Nº BR-01156/2014 e no TRE Nº RN-00045/2014. A Margem de erro é de 3% e o índice de confiabilidade é de 95%. (O Jornal de Hoje)


Curtir Twittar Instagram
publicidade
escola_escritorio

outubro23

Brasil está em recessão técnica, admite Ipea

O fraco desempenho da economia brasileira, em recessão técnica, tem pouco a ver com uma crise internacional e está mais ligado à desaceleração da demanda doméstica e à redução dos investimentos na produção.

A visão, contrária aos argumentos da presidente Dilma Rousseff e do ministro da Fazenda, Guido Mantega, não vem da oposição ao governo, mas de uma ampla análise do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Divulgada sem alarde no site do Ipea, a Carta de Conjuntura derruba dois dogmas do discurso do governo federal.

O Ipea reconhece a "recessão técnica", ou seja, a queda da atividade econômica por dois trimestres consecutivos. O governo rejeita esse conceito.

O instituto, vinculado à Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência (SAE), também nega que a crise mundial seja a única explicação para o fraco resultado do Produto Interno Bruto (PIB) registrado ao longo dos últimos quatro anos.

A análise, assinada pela Diretoria de Estudos e Política Macroeconômicas, sai em um momento de crise interna no Ipea e de adiamento na divulgação de indicadores negativos para a economia às vésperas da eleição de domingo.

Na semana passada, o diretor de Estudos e Políticas Sociais, Herton Araújo, entregou o cargo após ser voto vencido em reunião da cúpula do Ipea que decidiu, no início de outubro, não divulgar análises com dados públicos durante o período eleitoral.

Na ocasião, Araújo defendia a divulgação de estudo técnico sobre miséria no Brasil a partir de dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) do IBGE.

Agora, a nova Carta de Conjuntura coloca ainda mais lenha na fogueira no debate político, partindo de análises econômicas.

"Ao contrário de outros períodos em que o PIB caiu por dois trimestres consecutivos (por exemplo, 1998-1999, 2001, 2003 e 2008-2009), o momento atual não se caracteriza por crises externas, flutuações bruscas nos preços macroeconômicos e/ou apagões energéticos", escrevem os analistas do Ipea.

"A inexistência de culpados óbvios isto é, de choques negativos de grande monta torna ainda mais significativo o fenômeno da estagnação econômica recente."

Os economistas citam especificamente as últimas quatro crises vividas internamente, que deprimiram o PIB brasileiro.

Entre 1998 e 1999, no governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB), a economia sofreu os abalos da crise na Rússia e, na sequência, da maxidesvalorização do real, em janeiro de 1999.

Dois anos depois, em 2001, o PIB recuou forçado pelo racionamento de energia no governo FHC, o chamado "apagão".

Em 2003, a economia reagiu mal à brusca desvalorização do real, contaminado pela radicalização do período eleitoral do ano anterior.

Finalmente, entre o fim de 2008 e o começo de 2009, o Brasil foi atingido pela explosão da crise econômica mundial, nos Estados Unidos e na Europa.

"Reitere-se que, nas últimas décadas, recessões técnicas só ocorreram em momentos em que o país foi atingido por choques negativos importantes", afirmaram os analistas do Ipea.

O Ipea destaca que "ainda que o quadro atual de baixo crescimento econômico seja obviamente indesejável, cumpre ressaltar que seus efeitos negativos têm sido mitigados pelo fato de a taxa de desemprego permanecer baixa e dos rendimentos reais continuarem crescendo".

O bom ritmo do mercado de trabalho tem suavizado os problemas macroeconômicos e mantido um nível geral de atividade que impede que o PIB recue a zero.

Depois de crescer 2,7% em 2011; 1% em 2012; e 2,5% em 2013, o PIB deve fechar em cerca de 0,3% neste ano, segundo projeções do mercado financeiro.

Na média, o governo Dilma Rousseff deve encerrar com um avanço do PIB de 1,6% do PIB, desempenho inferior apenas ao de Floriano Peixoto (1891-1894) e de Fernando Collor (1990-1992) entre todos os presidentes.

A admissão da recessão técnica fica clara no trecho em que o Ipea assinala as duas retrações consecutivas do PIB no primeiro e no segundo trimestre deste ano.

"Este resultado (do 2º trimestre) configurou um cenário de recessão técnica, uma vez que o PIB já tinha caído 0,2% no trimestre anterior".

Quanto ao desempenho da inflação, o Ipea reconhece que o cenário de aumento de preços no Brasil "vem se mantendo pressionado, em patamar elevado".

De acordo com os economistas, o índice oficial (IPCA) fechará o ano em um nível superior aos 5,91% verificados em 2013 - isto é, estará ainda mais próximo do teto da meta perseguida pelo Banco Central, de 6,5%.

O Ipea também cita o estranho desempenho das despesas federais com programas sociais e previdenciários ao longo do primeiro semestre - as chamadas "pedaladas fiscais".

O Tesouro atrasou o repasse de dinheiro aos bancos, notadamente a Caixa Econômica Federal, que continuaram realizando os pagamentos em dia de abono salarial, seguro-desemprego, benefícios previdenciários e Bolsa Família.

Os atrasos nos repasses reduziram artificialmente as despesas federais. Após a revelação da manobra, o Tesouro iniciou uma correção dessas "pedaladas" em agosto e setembro, o que piorou o resultado fiscal do governo federal.

Sem citar diretamente essas operações, o Ipea assinala que houve "elementos incomuns do lado das despesas".

"Os mais relevantes foram os pagamentos de abono e seguro-desemprego, que mais que dobraram, em termos reais, em relação aos registrados em agosto de 2013, compensando quedas expressivas ocorridas nos meses anteriores."  (Estadão)


Curtir Twittar Instagram
publicidade
Pet Stop

outubro23

Eleições levam dólar ao maior nível em quase 6 anos

As especulações na reta final da corrida eleitoral impulsionaram, nesta quinta-feira, dia 23, o dólar para o maior patamar em quase seis anos.

No fim da sessão, o dólar fechou em alta de 0,84%, a R$ 2,5090, a maior cotação desde 4 dezembro de 2008. No mercado futuro de câmbio, o dólar para novembro subia 0,90%, a R$ 2,5150.


Curtir Twittar Instagram
publicidade
Agronorte

outubro23

Aécio minimiza pesquisas, critica nível da campanha e diz que vai ganhar

O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, desconsiderou o resultado das pesquisas eleitorais, que o apontam atrás da petista Dilma Rousseff, que disputa a reeleição, criticou o nível da campanha e garantiu que será vencedor no próximo domingo (26).

Aécio falou à imprensa na tarde de hoje (23) no comitê de campanha do Rio.

Sobre as pesquisas, o candidato lembrou que o que se viu no primeiro turno foi uma distância muito grande entre a vontade do eleitor e o que as pesquisas manifestavam.

"Eu vejo as pesquisas como um estímulo aos nossos companheiros e companheiras que querem mudar. Fiquem alertas e atentos porque temos todas as chances de ganhar. Mas eu não paro para avaliar pesquisas. Quero reafirmar que, assim como eu cheguei no segundo turno, no domingo que vem, vamos vencer as eleições e escrever uma nova página na história do Brasil”, disse Aécio, que estava ao lado da filha Gabriela.

Aécio mostrou-se inconformado com o nível político da campanha. “No futuro, essa campanha será tida como a de mais baixo nível de todas as que tivemos desde a redemocratização. A campanha conduzida por nossos adversários é a mais sórdida e mentirosa de todas. Hoje mesmo estão sendo presas pessoas com boletins falsos, com infâmias, com acusações levianas em relação a mim, à minha família."

De acordo com o candidato, hoje mesmo surgiram denúncias sobre mensagens de telemarketing assustando e aterrorizando pessoas beneficiadas pelo Programa Bolsa Família. "Quem age de forma tão sórdida como essa, não está preparado para a democracia e teme o resultado das eleições”, afirmou Aécio.

Ele anunciou que, se for eleito, estenderá o horário das creches e pré-escolas públicas até as 20h e ampliará o tempo da licença-maternidade para mães que tiveram filhos com problemas, que precisem ficar mais tempo internados. Pela proposta, o tempo da licença só começará a ser contado quando o bebê deixar a maternidade.

O candidato do PSDB permanece no Rio gravando programas eleitorais. Amanhã (24), ele participa do último debate da campanha, à noite, na Rede Globo. 


Curtir Twittar Instagram
publicidade
Marcelo Abdon

outubro23

Treze estados e o Distrito Federal adotam Lei Seca no segundo turno

Pelo menos 13 estados, além do Distrito Federal, adotarão a Lei Seca no segundo turno das eleições, domingo (26) próximo. 

Como não há lei nacional proibindo a venda de bebidas alcoólicas, a decisão fica a critério da Secretaria de Segurança Pública de cada estado. Em três estados, a proibição da venda de bebidas começa sábado (25): no Maranhão, a partir das 18h, no Amapá, às 20h e, no Amazonas, às 22h.

No Distrito Federal e nos estados de Mato Grosso do Sul, Roraima, Alagoas, do Pará, Piauí e Ceará, a proibição começa a valer no início da madrugada de domingo. Em Minas Gerais, no Paraná e no Rio Grande do Norte, a restrição será a partir das 6h de domingo.

No Acre, a assessoria da Secretaria de Segurança Pública não soube informar o horário de início da proibição.

Nos estados do Rio Grande do Sul, Espírito Santo, de Santa Catarina, Pernambuco, Goiás e Mato Grosso, a venda de bebidas no dia de votação será livre. Já em Rondônia e no Tocantins, haverá restrição em algumas zonas eleitorais, mas não em todo o estado.

Os governos do Rio de Janeiro, de São Paulo, da Paraíba e Bahia ainda não decidiram se será proibida a venda de bebida alcoólica no dia da eleição.


Curtir Twittar Instagram

outubro23

Delegada é encontrada morta em casa

A delegada adjunta identificada como Tatiene Damaris Sobrinho Damasceno Furtado, lotada na 36ª Delegacia de Polícia (DP), em Santa Cruz, zona oeste do Rio de Janeiro, foi encontrada morta na tarde de hoje (23) em casa, em Realengo, também na zona oeste da cidade. O crime teria ocorrido por volta de 12h30. Foram encontrados hematomas no corpo da delegada, mas nenhum sinal de bala ou objetos cortantes.

De acordo com informações da Divisão de Homicídios da Capital (DH/Capital), foi instaurado inquérito para apurar as circunstâncias do homicídio da delegada. Após a perícia no local, equipes da delegacia estão em busca de testemunhas e câmeras de segurança que possam ajudar nas investigações.

A polícia não descarta nenhuma hipótese. A delegada investigava grupos de milicianos na região, mas há possibilidade de o crime ter sido passional. Tatiene entrou na Polícia Civil em 2005 como papiloscopista. Em 2008, foi aprovada em concurso para delegado. Antes de atuar em Santa Cruz, onde era delegada assistente desde agosto, ela havia trabalhado na 35ª DP, em Campo Grande, e na 34ª DP, em Bangu), na zona oeste. Tatiene era casada e tinha dois filhos menores. 


Curtir Twittar Instagram

outubro23

PF e polícia colombiana prendem um dos traficantes mais procurados do mundo

Um dos traficantes mais procurados do mundo foi preso ontem (22) pela Polícia Federal (PF), em Boavista (RR), em ação que contou com apoio da Polícia Nacional Colombiana. Mais conhecido como Marquito Figueroa, o traficante Marcos de Jesús Figueroa García deverá ser extraditado para Colômbia em 60 dias, conforme informou hoje (23) o diretor de Investigação e Combate ao Crime Organizado da Polícia Federal, Oslain Campos Santana.

“É uma pessoa envolvida em violência, movimentação de cocaína, assassinatos e, inclusive, uma fuga espetacular da prisão na Colômbia em 2002”, salientou Santana, durante coletiva de imprensa.

Marquito Figueroa responde por mais de 100 processos na Colômbia. Por conta de sua periculosidade, o governo colombiano oferecia recompensa de US$ 250 mil por informações que possibilitassem sua prisão.

“Há muitos anos procurávamos esse delinquente. Ele tem cinco ordens de captura por diferentes delitos, entre eles narcotráfico, contrabando, formação de quadrilha e homicídios. Acreditamos que tenha cometido mais de 250 homicídios, inclusive de autoridades e políticos locais ligados, principalmente, a prefeitos", disse o adido policial da Colômbia no Brasil, Narcizo Martinez.

Há aproximadamente um ano, a polícia colombiana infiltrou um agente no grupo de Figueroa. “Em agosto, recebemos um comunicado da Colômbia informando que ele estaria em território nacional. Iniciamos uma a investigação e confirmamos que realmente ele estava no Brasil, especiíicamente em Roraima. Requeremos pedido de prisão e extradição ao Supremo Tribunal Federal, o que foi cumprido ontem, em operação conjunta com a polícia colombiana”, explicou Santana.

A prisão não foi imediata, porque a polícia brasileira precisava confirmar a identidade do criminoso. “Tivemos dificuldades, pois, a exemplo de narcoterroristas, ele utilizava documentação falsa”, acrescentou o delegado.

Sergundo ele, a operação foi bem planejada e, por isso, não foi necessário nenhum disparo. “Não houve também qualquer reação por parte dele no momento da prisão”, observou Santana.

A PF informou que, no momento da prisão, não foram apreendidos armas nem dinheiro na casa de Figueroa. “Iniciaremos uma investigação para identificar se ele lavou ativos no Brasil”, assinalou o delegado.

De acordo com o adido da polícia colombiana, é possível que, posteriomente à extradição para a Colômbia, Marquito Figueroa seja extraditado para os Estados Unidos. “Não há nada definido”, ressaltou.

Conforme o delegado da PF, o sucesso da operação deve ser creditado aos acordos de cooperação que a polícia brasileira mantém com países vizinhos, casos da própria Colômbia, Bolívia, Argentina, do Peru, Paraguai e Uruguai. “Por meio dessas parcerias, trocamos informações, experiências e capacitamos policiais em diferentes países. A operação de hoje é um exemplo dessa cooperação”, completou. (Agência Brasil)


Curtir Twittar Instagram

outubro23

OAB defende mobilização como a das "Diretas Já" para aprovar reforma política

Para aprovar a reforma política será necessária uma mobilização semelhante ao movimento pelas eleições diretas, defendeu hoje (23) a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), no encerramento do Congresso Nacional de Advogados. O secretário da Comissão Especial de Mobilização pela Reforma Política Democrática da OAB, Aldo Arantes, destacou que o projeto defendido pela entidade e mais 102 instituições vai requerer grande envolvimento da sociedade para passar no Legislativo.

"Uma proposta dessa natureza tem dificuldade de passar no Congresso, mas, se a sociedade se mobiliza, consegue. A influência dessa pressão sobre o Congresso é muito forte. Portanto, o pressuposto absolutamente necessário é o envolvimento da sociedade", disse Arantes. Acrescentou que este debate será a principal pauta política do ano que vem: "é necessária uma reforma política democrática, que assegure uma identificação entre a representação política e as aspirações da maioria da sociedade. Por isso, apresentamos esse projeto. Temos o dever e o papel de mobilizar a sociedade em algo semelhante ao que foi a "Diretas Já". 

O ponto mais importante a ser aprovado pela reforma política, na visão da OAB, é o fim do financiamento de empresas às campanhas, com a permissão apenas de financiamento público ou de pessoas físicas, com valor limitado. Outro, é a votação legislativa em dois turnos, quando os eleitores votariam, primeiro, nos projetos dos partidos, para depois escolherem seus candidatos entre os partidos eleitos.

"Isso faz com que o debate se coloque em outro patamar, que a eleição não se dê em torno de pessoas, mas de projetos para o país, reduzindo o número de candidatos e de partidos de forma democrática e consolidando política e ideologicamente os partidos do país", defendeu Aldo Arantes.

A OAB também defende o voto em lista fechada baseado nas propostas apresentadas. Assim, no primeiro turno os candidatos seriam definidos em eleições internas e, nesta listagem, seria obrigatória a divisão igualitária entre homens e mulheres: "vivemos a situação absurda em que as mulheres são mais de 50% da população e menos de 10% dos congressistas eleitos".

O último dos quatro pontos defendidos é o fortalecimento dos mecanismos de participação direta, como os plebiscitos, referendos e projetos de inciativa popular enviados ao Legislativo. "Eles estão presentes na Constituição, mas são praticamente letra morta", criticou Arantes.

A proposta de reforma política defendida pela OAB é assinada, também, por entidades religiosas, como a Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (Conic), de representantes sindicais, como a Central Única dos Trabalhadores (CUT), e por outras entidades e movimentos sociais como a União Nacional dos Estudantes (UNE), o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) e o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST). (Agência Brasil)


Curtir Twittar Instagram

outubro23

Candidatos defendem mudança na lei e redução de cargos para combater corrupção

A plataforma de campanha dos dois candidatos à Presidência da República não deixa de lado um tema espinhoso na política brasileira: a corrupção. Tanto Dilma Rousseff (PT) quanto Aécio Neves (PSDB) tratam o combate a esse crime com destaque e propõem mudanças em leis e no sistema político para evitar o desvio de recursos no país.

Candidata à reeleição, Dilma Rousseff apresenta cinco propostas de ações. A primeira é a aprovação de uma lei para punir os agentes públicos que enriquecem sem justificativa ou não demonstram a origem dos seus ganhos. A petista também quer criar uma nova espécie de ação judicial que permita o confisco dos bens adquiridos de forma ilícita ou sem comprovação.

Dilma também propõe uma mudança na legislação eleitoral para transformar em crime a prática de caixa 2. Outra mudança na legislação daria agilidade no julgamento de processos envolvendo desvio de recursos públicos. A quinta proposta da candidata é a criação de uma nova estrutura no Poder Judiciário, que garanta mais agilidade e eficiência às investigações e aos processos movidos contra os que tem foro privilegiado.

Em seu programa de TV, a candidata reafirmou que a corrupção causa revolta e repulsa. "Quanto mais a corrupção aparece, mais parece que ela cresce. E quando se oculta, se abafa, se engaveta, se cria a ilusão que ela não existe. A gente não tem que ter medo de ir fundo, porque a verdade liberta, enquanto a mentira cria a falsa ilusão de que tudo está bem”, disse.

O programa de governo de Aécio Neves promete o combate intransigente a toda forma de corrupção e ao aparelhamento da máquina pública. Entre as propostas do candidato do PSDB estão o aprimoramento da legislação para combater os crimes de colarinho branco e a capacitação de agentes públicos na prevenção e no combate à corrupção e à lavagem de dinheiro. Aécio também propõe uma definição mais detalhada do que é organização criminosa.

Outras medidas citadas por ele para melhorar a eficiência do Estado são a redução do número de ministérios, que atualmente está em 39, e a diminuição em um terço dos 24 mil cargos comissionados no Brasil. Ele defende o emprego nas empresas públicas e a transparência, com o objetivo de aumentar a eficiência e eliminar o aparelhamento e a corrupção.

O candidato defende a implantação de uma gestão por meritocracia, por meio de avaliações de desempenho institucional e individual. “Queremos a profissionalização do setor público, concursos públicos são essenciais. O que eu vou reduzir são os cargos comissionados, sem qualquer critério de eficiência e meritocracia”, defende Aécio.

Para o fundador e secretário-geral da organização não governamental (ONG) Contas Abertas, Gil Castello Branco, as propostas dos dois candidatos para combater a corrupção no país são frágeis. “A meu ver, esse assunto não é tratado com a seriedade devida, como uma questão prioritária”, avalia. Ele critica o fato de o atual governo, mesmo com maioria no Congresso Nacional, não ter agilizado a aprovação de cerca de 300 projetos de lei anticorrupção que tramitam no Legislativo.

O especialista também questiona o atraso na regulamentação da Lei Anticorrupção, que pune pessoas físicas e empresas. A proposta foi aprovada em agosto do ano passado e aguarda regulamentação na Casa Civil. Outro problema apontado por ele diz respeito à falta de cumprimento da lei que obriga os municípios a terem portais divulgando receitas e despesas e o efetivo cumprimento da Lei de Acesso à Informação.

Ele considera que o programa do candidato Aécio Neves apresentou poucas propostas sobre o tema. “Não vi uma manifestação explícita em relação à aprovação dos projetos de lei que tramitam no Congresso sobre o assunto nem sobre o maior cumprimento das leis que aumentam a transparência e o controle social e diminuem a corrupção”, avalia.

Para o cientista político Antônio Flávio Testa, da Universidade de Brasília (UnB), as propostas dos dois candidatos estão “mais para discursos vazios do que proposições práticas”. Ele explica que no atual sistema político do país a atuação de um presidente da República em relação ao combate à corrupção é limitada. “A corrupção é estrutural no Brasil. O presidente pode demitir funcionários, ministros, pessoas acusadas de corrupção. Mas com esse sistema que nós temos de aparelhamento do Estado, de indicação política, eventualmente ele tira uma pessoa e coloca outra, mas ela estará subordinada à mesma regra.”

Testa considera difícil a aprovação no Congresso Nacional de propostas para endurecer a legislação no combate à corrupção. “Não creio que seja fácil nem é interesse do Congresso passar isso.” Em relação à proposta de Aécio Neves, de diminuir os cargos comissionados, o especialista acredita ser difícil de ser implementada. “Se ele conseguir fazer isso, seria muito bom para o Brasil, mas quero ver se ele vai ter condições de fazer, se ganhar. Esses cargos são indicações partidárias. O sistema presidencialista de coalizão exige isso para funcionar: colocar indicados dos partidos para cobrir cargos estratégicos”, argumenta. (Agência Brasil)


Curtir Twittar Instagram
publicidade
DNA Center

outubro23

Pardo-suíço atrai pecuaristas por se adaptar aos cinco biomas brasileiros

4.000 A.C. Essa é a data registrada de uma das raças bovinas mais antigas e puras do mundo, o braunvieh (ou pardo-suíço). Foi graças à sua longevidade, fertilidade, adaptação, rusticidade e também a dupla aptidão que esse animal conseguiu tomar os quatro cantos do mundo e, principalmente, os variados biomas brasileiros.

Os mais antigos pardo-suíços registrados pela história viviam numa região correspondente ao nordeste da Suíça, nos Alpes Suíços, em condições climáticas e topográficas extremamente duras. O gado chegou ao Brasil em 1911 e sua associação surgiu em 1938, o que incentivou a criação de braunvieh no país. 

Uma raça reconhecida em todo o mundo por sua alta capacidade de adaptação. Provado e aprovado por pecuaristas nos cinco biomas brasileiros. Dos pampas gaúchos à Amazônia e do litoral ao Pantanal.

A pedido de telespectadores, o programa Giro do Boi prestou uma homenagem ao pardo-suíço no último programa especial sobre raças de corte. A série avalia os pontos positivos e negativos de cada raça, além de fazer um balanço dentro do mercado pecuário.

Nesta edição, o apresentador Mauro Sérgio Ortega conversou com o superintendente-técnico da Associação Brasileira dos Criadores de Pardo Suíço, Fernando Kaiser, e também com o pecuarista Higino Hernandes Neto, titular das Fazendas 3 Muchachas e Baia Grande, de Camapuã e Rio Verde do Pantanal, respectivamente.

Segundo Kaiser, a pureza da raça foi fator determinante para a sua disseminação no Brasil e no mundo. Com capacidade para a produção de leite e de carne de qualidade, Fernando aponta ainda que o braunvieh apresenta ótimos resultados se cruzado com zebuínos ou raças europeias.

– É um gado forte, troncudo. Produz carne de alta qualidade. Além disso, é fértil e precoce. Antes de um ano de idade a fêmea já pode começar a ciclar. Possui ótima habilidade materna e seu ganho de peso rápido ajuda muito, pois desmama bezerros mais pesados – afirma Kaiser.

O pecuarista Higino Fernandes também se diz muito satisfeito com o retorno da raça. O empresário cruza o pardo-suíco com animais zebuínos (nelore e brahman). As fêmeas meio-sangue ou F1 são entouradas novamente com um outro zebu, neste caso o guzerá, resultando num animal com três graus de sangue, também conhecidos como F2 ou three-cross.

Terminados à pasto, com uma suplementação de três quilos/dia por cabeça, os machos estão sendo abatidos ao sobreano com mais de 500 quilos de peso. Parte desta produção foi confinada e vai para o frigorífico com 14 meses de idade e 550 quilos de peso médio. A rápida terminação e acabamento de gordura serão alvos de um abate técnico agendado para o mês de novembro na Unidade JBS de Campo Grande (MS). O romaneio será divulgado pela Associação Brasileira da Raça. (Canal Rural)


Curtir Twittar Instagram
publicidade
escola_escritorio

outubro23

Gugu Liberato vai reestrear em fevereiro na Record

A reestreia do Gugu Liberato na Record será em fevereiro, com um programa de variedades, formato aberto, às terças, quartas e quintas, faixa das 22h30.

Será exibido, ao vivo, direto dos estúdios da GGP. Direção do Homero Salles. 


Curtir Twittar Instagram
publicidade
Pet Stop

outubro23

Twitter declara o fim do login com email e senha

O Twitter declarou na quarta-feira (22) guerra à senha durante sua conferência de desenvolvedores em San Francisco ao anunciar um novo sistema de login nos aplicativos móveis a partir do número de telefone.

Jeff Seibert, diretor de plataformas móveis da rede social, apresentou na conferência o Digits, um produto que o Twitter oferece gratuitamente a partir de hoje em 28 idiomas e em 216 países.

O Digits permitirá aos desenvolvedores de aplicativos móveis oferecer aos usuários um processo com três passos. O primeiro é uma tela com a opção de fazer login através de um dispositivo móvel, outra tela para teclar o número de telefone e a terceira para digitar o número de confirmação que o Twitter enviará através de uma mensagem de texto e que só poderá ser utilizado uma vez.

Seibert disse estar convencido que o sistema é melhor que a combinação de email e senha utilizada atualmente e que é, apontou, fácil de esquecer, frequentemente difícil de digitar nos telefones celulares e suscetível a ser pirateada.

Desenvolvedores que assistiram à conferência, como Derek Hearn, um jovem tecnólogo de Chicago, deram as boas-vindas ao produto.

"O Digits me deixou curioso. Nós já fazemos algo semelhante dentro de nossa empresa", disse Hearn à agência Efe. Ele trabalha para a MeetBall, uma companhia que compartilha a localização dos usuários em dispositivos móveis.

Cameron Hendrix, um jovem desenvolvedor de aplicativos móveis de Nova York que trabalha em uma empresa de educação digital, deu também boas-vindas à iniciativa que descreveu como "mais segura" que o atual sistema universal de senhas.

Twitter ressaltou hoje que o sistema resultará especialmente útil em países em vias de desenvolvimento nos quais, com frequência, a única forma de aceder a internet é através do telefone.

Se o Digits conseguir conquistar desenvolvedores em todo o mundo, o Twitter poderia acabar com o atual reinado da senha.

Além do Digits, o Twitter apresentou hoje o Fabric, uma nova plataforma que procura facilitar o trabalho dos mais de mil desenvolvedores que participaram da conferência em San Francisco.

"É a melhor forma, e a mais singela, de desenvolver os melhores aplicativos", disse hoje durante a abertura do evento o CEO do Twitter, Dick Costolo.

A rede social também mostrou hoje o Crashlytics, que oferece aos desenvolvedores um sistema gratuito para comprovar se o aplicativo que estão desenvolvendo tem problemas ou trava.

O encontro em San Francisco contou com a participação de representantes de meios comunicação, como Raju Narisetti, vice-presidente da News Corporation, que elogiou o Twitter por ter se transformado a principal plataforma para identificar notícias urgentes.

Narisetti afirmou que a rede social é uma grande plataforma para captar audiência e mencionou, nesse sentido, que o jornal financeiro "Wall Street Journal", parte do grupo News Corporation, obteve 47% do tráfego nas redes sociais através do Twitter.

A relação do Twitter com os meios de comunicação foi motivo de debate após a saída da chefe da divisão de notícias, Vivian Schiller, que deixou o cargo apenas um ano após assumir o posto e em meio a uma série de mudanças entre altos diretores da rede social.

A exjefa da divisão de notícias de Twitter trabalhou com Dataminr, uma companhia de gestão de dados com sede em Nova York, que desenvolveu o primeiro produto noticioso para a rede social.

O produto, que estreou o mês passado, analisa os 500 milhões de tuítes gerados a cada dia e identifica tendências que possam se transformar em notícias. (EFE)


Curtir Twittar Instagram
publicidade
Agronorte

outubro23

Termina hoje prazo para a realização de comícios

Hoje (23) é o prazo final para que candidatos que ainda estão na disputa eleitoral no segundo turno possam promover reuniões públicas ou comícios. A regra está prevista no Código Eleitoral e na Lei nº 9.504/97, conhecida também como Lei das Eleições.

Amanhã (24), irão ao ar as últimas propagandas eleitorais gratuitas no rádio e na televisão. Esse também é o prazo final para a divulgação paga de propaganda eleitoral na imprensa escrita e para a realização de debates, que não devem ultrapassar a meia-noite.

Os presidentes das mesas também devem comunicar até esta sexta-feira que não receberam o material destinado à votação.

As propagandas feitas com alto-falantes ou amplificadores de som estão permitidas até sábado (25), véspera da votação, entre as 8h e as 22h.

A distribuição de material gráfico, a realização de caminhadas, passeatas e carreatas, além da divulgação de jingles ou mensagens dos candidatos por carros de som podem ser feitas também até as 22h.

No segundo turno das eleições, previsto para o próximo domingo (26), 143 milhões de eleitores elegerão o presidente da República e os governadores de 13 estados e do Distrito Federal.

Apesar do horário de verão nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, a votação será feita das 8h às 17h, obedecendo o horário local.

Com o horário de verão, o Acre passou a ter três horas a menos em relação ao horário de Brasília. Por isso, a divulgação dos números das eleições para presidente da República começará às 20h de Brasília. Os resultados para governador nos 13 estados e no DF serão conhecidos logo após o encerramento da votação. 


Curtir Twittar Instagram
publicidade
Marcelo Abdon

outubro23

Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 60 milhões no sábado

Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 1.646 da Mega-Sena, realizado na noite de quarta-feira (22), em São Paulo (SP). Acumulado pela sexta vez consecutiva, o prêmio, a ser sorteado no próximo sábado (25), será de R$ 60 milhões.

Os números sorteados foram: 19 - 23 - 34 - 40 - 41 - 58.

Ao todo, 126 apostadores acertaram a quina e ganharam R$ 39.714,43 cada um. Outras 10.700 pessoas acertaram os números da quadra e levaram R$ 668,09.

A aposta mínima custa R$ 2,50 e pode ser feita até às 18h do dia do sorteio em qualquer casa lotérica do país. 


Curtir Twittar Instagram

outubro23

Expectativa de inflação sobe para 7,5% no período de 12 meses

O consumidor brasileiro prevê uma inflação acumulada de 7,5% nos próximos 12 meses, segundo pesquisa de outubro da Fundação Getulio Vargas (FGV). Em setembro, a Expectativa de Inflação dos Consumidores nos 12 meses seguintes havia ficado em 7,3%.

Segundo a FGV, a estimativa do consumidor em outubro é a mais alta desde novembro de 2005 (7,8%). Avaliando-se a média móvel trimestral (a média dos últimos três meses, incluindo aquele da pesquisa), o indicador subiu de 7,2% em setembro para 7,3% em outubro.

Segundo a FGV, o aumento da expectativa de inflação futura pelos consumidores é resultado dos crescimentos recentes das taxas de inflação, que se mantém pressionada principalmente pelos alimentos. 


Curtir Twittar Instagram

outubro22

Bateria portátil de celular transforma movimentos em energia

Uma bateria portátil para celular é capaz de transformar movimentos do seu corpo em energia.

Chamada de Ampy, a tecnologia foi criada por uma startup de Chicago, nos Estados Unidos, e financiada por investidores de diversos pontos do mundo no Kickstarter.

A empresa atingiu sua meta de 100 mil dólares em 11 de outubro, três dias depois do anúncio do projeto.

Nesta quarta-feira (22), a arrecadação chegou a 200 mil dólares. Ainda faltam 18 dias para o fim da campanha.

O produto pode transformar uma hora de corrida, 30 minutos de ciclismo ou uma longa caminhada de 10 mil passos em energia elétrica suficiente para 3 horas de uso para seu smartphone.

Esses exercícios também podem servir para dar carga de 24 horas em um smartwatch e de até 72 horas em uma pulseira inteligente.

A unidade do Ampy é vendida atualmente por 85 dólares, 210 reais em conversão direta.

Quando chegar ao mercado, o que deve acontecer em junho de 2015, o preço será de 95 dólares, 235 reais.

O gadget é pequeno e precisa estar sempre com você, seja no seu braço, na sua cintura ou no seu bolso.

A empresa promoveu recentemente uma ação de divulgação do Ampy com três atletas que disputaram a maratona de Chicago.

No total, foram 8.600 calorias queimadas e mais de 40 horas de bateria geradas para seus celulares.

A conversão da energia cinética (do movimento) para elétrica é parecida com aquela usada em lanternas que precisavam ser apertadas algumas vezes para funcionar. Outro exemplo são dínamos de bicicletas.

A startup Ampy foi fundada por três estudantes de Ph.D em engenharia na Northwestern University, que desenvolveram o produto ao longo do último ano.

Com capital vindo de competições de negócios, a empresa colocou mil unidades do Ampy nas ruas.

A campanha no Kickstarter foi uma iniciativa para encontrar um investidor-anjo para dar longevidade à companhia.

O aplicativo do Ampy para smartphones mostram quantos passos o usuário deu, uma estimativa das calorias gastas durante o exercício, bem como quanta energia elétrica foi gerada.

“Usar o Ampy pode diminuir a pegada de carbono do seu smartphone”, segundo Tejas Shastry, fundador e CEO do Ampy.

Projetos como esse, contudo, não são únicos. Há, por exemplo, tênis que transformam os movimentos dos pés.

Os calçados seguem o mesmo princípio de conversão de energia cinética e foram criados em 2013 por um grupo de estudantes de engenharia da Universidade de Rice, em Houston.

Outro caso, também do ano passado, foi um dispositivo chamado Ativ que tinha um conceito muito semelhante ao do Ampy. Projetado pelo designer Ben Azzam, da Universidade de Auburn, o produto ainda não chegou ao mercado. (Exame)


Curtir Twittar Instagram

outubro22

Tuberculose matou 1,5 milhão de pessoas em 2013

A tuberculose fez 1,5 milhão de vítimas entre 9 milhões de pessoas que contraíram a doença em 2013, número superior às estimativas iniciais, revelou hoje (22), em Genebra, a Organização Mundial da Saúde (OMS). Os números constam do relatório anual sobre a tuberculose. O documento acrescenta que, entre as vítimas, 360 mil eram doentes infectados com o vírus HIV.

A estimativa inicial era 8,6 milhões de casos e, segundo o diretor do programa da OMS de combate à tuberculose, Mario Raviglione, o aumento deve-se "aos investimentos nos sistemas de monitoração e vigilância (...) que proporcionam mais e melhores dados". Ele informou que a tuberculose é a segunda doença infecciosa que mais mata, situando-se perto do HIV.

No entanto, a taxa de mortalidade de tuberculose diminuiu 45% desde 1990, e o número de novas infecções diminuiu para 1,5% por ano, com 37 milhões de vidas salvas desde 2000, devido a diagnósticos feitos a tempo útil e aos tratamentos oferecidos. (Agência Lusa)


Curtir Twittar Instagram