Natal(RN), Quarta-Feira, 4 de Maio de 2016

    abril11

    Presos quebram parede, se arrastam por buraco e escapam de Alcaçuz

    Seis presos fugiram na madrugada deste domingo (10) da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, maior unidade prisional do Rio Grande do Norte. A informação foi confirmada por Zemilton Pinheiro da Silva, diretor da Coordenadoria de Administração Penitenciária (Coape).

    Segundo Juciélio Barbosa da Silva, vice-diretor da unidade, os presos quebraram a parede da quadra do pavilhão 2, entre as guaritas 3 e 4, e rastejaram até o muro da penitenciária. Lá, eles cavaram um buraco e escaparam.

    Após a fuga, uma revista estrutural foi feita na unidade e o buraco foi fechado. Os fugitivos foram identificados como Bruno Mitchell Carvalho de Farias, Diego Gregório Meirelles Santos, Francisco Damião Virgilio de Oliveira, Janailson Pereira, Maciel Germano da Silva e Thiago da Silva Bento.

    Ao todo, Alcaçuz tem aproximadamente 1.100 presos. A penitenciária fica na cidade de Nísia Floresta, na Grande Natal.

    Diretor baleado

    O diretor de Alcaçuz foi baleado na frente de casa na manhã de sábado (9). Ivo Freire foi atingido na perna e socorrido para o pronto-socorro Clóvis Sarinho. O crime aconteceu no bairro Cidade Verde, em Parnamirim. Segundo a PM, ele saía de casa acompanhado da esposa quando um carro parou em frente à residência e dois homens desceram atirando. Ninguém foi preso. No início de março, Ivo Freire levou uma pedrada na cabeça durante uma revista no pavilhão 2 da unidade prisional.

    Fugas em 2016

    Com a fuga de Alcaçuz neste domingo, chega a 149 o número de detentos que conseguiram escapar este ano do sistema prisional potiguar. Antes, no dia 4 de abril, quatro presos serraram as grades de uma cela e pularam o muro no CDP de Patu, no Oeste potiguar.

    Calamidade

    O governo do Rio Grande do Norte renovou por mais seis meses o decreto de calamidade no sistema prisional potiguar. A renovação, assinada pelo governador Robinson Faria, foi publicada na edição do dia 17 de março do Diário Oficial do Estado (DOE). O documento diz que a renovação tem por objetivo "legitimar a adoção e execução de medidas emergenciais que se mostrarem necessárias ao restabelecimento do seu normal funcionamento". (G1)

    publicidade
    ide

    abril3

    Fábio Assunção é pego em Lei Seca e vai responder por desacato

    O ator Fábio Assunção foi pego em uma blitz da Operação Lei Seca, na madrugada deste sábado (2), na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. Após ser parado pelos agentes, o ator se recusou a fazer o teste do bafômetro. Ele foi levado para a delegacia e em seguida encaminhado para perícia no Instituto Médico Legal.

    De acordo com a polícia, o resultado do exame foi positivo para ingestão alcoólica e negativo para embriaguez. A polícia informou que o ator responderá pelos crimes de desobediência e desacato.

    Procurada pelo G1, a assessoria do ator informou que não vão se pronunciar sobre o assunto.

    A polícia informou ainda que também foi instaurado procedimento policial para apurar condução do carro sob efeito de álcool. Segundo o Delegado Marcus Vinícius, da 16ª Delegacia, onde o caso foi registrado, a equipe da Lei Seca estava posicionada na Avenida Lúcio Costa esquina com Avenida General Raposo, na Barra da Tijuca. Por volta de 01h deste sábado, o ator foi abordado por policiais militares. Os agentes solicitaram que ele fizesse o teste do etilômetro. De acordo com a polícia, bastante exaltado ele se recusou a fazer o teste e foi encaminhado para a delegacia.

    publicidade
    DNA Center

    março23

    RN tem maior aumento de casos de homicídios do país, diz Ipea

    O Rio Grande do Norte é o estado brasileiro que registrou o maior crescimento na taxa de homicídios e também o que contabilizou o maior crescimento em números absolutos de assassinatos do país entre os anos de 2004 e 2014, segundo mostra o Atlas da Violência – estudo  divulgado ontem (22) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

    Neste período, de acordo com o Ipea, a variação da taxa de homicídio por 100 mil habitantes foi de mais 308,1% no Rio Grande do Norte. Já o aumento no número de assassinatos, foi de 360,8%. Em 2004, o estudo revela que 342 foram assassinadas no RN. Já em 2014, foram 1.576 vítimas.

    O estudo também traz um ranking que lista as 20 cidades mais violentas do país. E três delas são potiguares: Macaíba, Natal e Mossoró. Em Macaíba, a 5ª no ranking, a taxa foi de 72,4 homicídios para cada grupo de 100 mil habitantes. Mossoró é a nona, com taxa de 71,5. Natal é a 16ª, com taxa de 62,1.

    Ainda levando em consideração os dados de 2014, o estado aparece como o quarto mais violento. Com uma taxa de 46,2 mortos para cada grupo de 100 mil habitantes, o Rio Grande do Norte fica atrás apenas de Alagoas (taxa 63), Ceará (52,2) e Sergipe (49,4).

    Atlas da Violência

    O Nordeste é a região do Brasil que registrou o maior crescimento de homicídios em uma década, ainda segundo o Atlas da Violência 2016. Apenas em 2014, 59.627 pessoas foram vítimas de homicídio no Brasil. Com uma taxa de homicídios de 29,1 por 100 mil habitantes, o país já é responsável por mais de 10% dos números registrados no mundo. O país está entre as 12 maiores taxas de homicídios por 10 mil habitantes, em comparação com uma lista de 154 países. (G1RN)

    publicidade
    escola_escritorio

    março22

    Armas de fogo causam 76% dos homicídios, diz pesquisa

    Mais de 76% dos homicídios ocorridos no país em 2014 foram em decorrência do uso das armas de fogo. Houve 44.861 mortes. O indicador é bem superior aos 21%, que representam a média dos países europeus. A proporção caiu com a sanção do Estatuto do Desarmamento (ED), em 2003, quando a taxa alcançou 77%, mas a violência letal com arma de fogo no Brasil atinge patamares comparáveis a poucos países da América Latina, aponta o Atlas da Violência 2016, divulgado hoje (22) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (Fbsp).

    Entre 2003 e 2014, em seis estados, o aumento foi menor do que 50%; em três deles, situou-se entre 50% e 100%, ao passo em que em nove unidades federativas ocorreu aumento acentuado, superior a 100% no período, sendo todos em estados do Norte e Nordeste.  Nove unidades federativas tiveram diminuição da taxa.

    Após fazer uma projeção de um cenário sem o Estatuto do Desarmamento, o estudo afirma que os homicídios seriam uma tragédia social ainda pior. A comparação mostra que, caso o estatuto não tivesse sido sancionado em 2003, em média, entre 2011 e 2013, seria de pelo menos 77.889 homicídios no Brasil, ou 41% a mais de homicídios, em relação ao observado, aponta a pesquisa.

    Nos estados do Norte e Nordeste, o número de homicídios seria ainda maior. Enquanto a média do total de homicídios, entre 2011 e 2013, na região Norte, foi de 5.952, o número alcançou 20.787 casos no Nordeste. O estudo contrafactual, caso o estatuto não tivesse sido oficializado, sinaliza que o total de mortes nessas regiões teria sido de 7.224 e 29.757, respectivamente.

    Subnotificação de casos

    A falta de informação sobre mortes por agentes do estado no Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) é um problema em todos os estados, segundo o estudo. A subnotificação fica evidente quando se compara com os dados publicados no Anuário Brasileiro de Segurança Pública.

    Em 2014, o SIM apresenta 681 mortes por intervenções legais, enquanto o anuário, utilizando dados coletados diretamente dos estados pela Lei de Acesso à Informação, apresenta 3.009 mortes decorrentes de intervenção policial, das quais 2.669 causadas por policiais em serviço, diferença de 1.988 mortes, sem considerar a subnotificação também existente nos registros dos estados. Nas duas fontes de informação, os três estados que apresentam os maiores números de mortes por intervenções legais, em 2014, são Rio de Janeiro, São Paulo e Bahia.

    publicidade
    ide

    março21

    Nova fase da Lava Jato prende operador financeiro em Portugal

    A Polícia Federal (PF) deflagrou hoje (21) a 25ª fase da Operação Lava Jato e prendeu, em Portugal, o operador financeiro Raul Schmidt Felippe Júnior. Investigado pela Lava Jato desde a 10ª fase, Schmidt é tido como sócio do ex-diretor da Petrobras Jorge Zelada e estava foragido.

    De acordo com a assessoria de imprensa da corporação, investigadores da PF e do Ministério Público Federal do Paraná (MPF-PR) acompanharam autoridades portuguesas no cumprimento da prisão e também no cumprimento do mandado de busca em sua residência, na cidade de Lisboa.

    Ainda segundo a PF, Schmidt deve permanecer preso em Portugal enquanto a possibilidade de extradição é analisada. “O compartilhamento de provas colhidas hoje auxiliarão nos trabalhos desenvolvidos pela equipe Lava Jato no Brasil”, concluiu a corporação, por meio de nota.

    publicidade
    Agronorte

    março17

    Emenda deve trazer investimento de R$ 500 mil para segurança pública de Natal

    A Assessoria Técnica da Secretaria Municipal de Segurança Pública e Defesa Social (Semdes) lançou no Sistema de Gestão de Convênios do Ministério da Justiça (Sincov/MJ) uma proposta de captação de recursos para ser aplicado pela Prefeitura na segurança pública de Natal. O projeto tem como base justificar e liberar o investimento de R$ 500 mil destinado para a área de segurança da capital por meio de uma emenda parlamentar do deputado federal, Antônio Jácome.

    Os recursos dizem respeito ao Programa Justiça, Cidadania e Segurança Pública com vistas a efetivação do Sistema Integrado de Prevenção da Violência e a Criminalidade. A proposta traz como objetivo principal a expansão e o fortalecimento do Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGI-M), apoiando também as ações dos projetos sociais de segurança preventiva operados pela Guarda Municipal do Natal (GMN).

    Em linhas gerais, os recursos previsto na proposta serão aplicados na estruturação física da Central de Videomonitoramento da GMN com a aquisição de novos equipamentos que vão possibilitar um incremento de 400% nos monitores de imagem de LED, como também aquisição de viatura específica para o setor, novos computadores, rádios portáteis, e outros equipamento necessários para o melhor funcionamento da central de imagens de segurança do município. Os valores também vão servir para instalação e treinamento do corpo de guardas municipais que atuam no sistema de monitoramento de câmaras.

    Já no tocante aos projetos de segurança preventiva desenvolvidos pela GMN, a intenção é contemplar o Agente Mirim Ambiental de Natal (Amana), que é coordenado por agentes lotados no Grupamento de Ação Ambiental da Guarda Municipal, com atividades de cidadania voltadas a crianças de 09 a 13 anos, que são realizadas no Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte. Nesse sentido, o plano é realizar aquisição de veículo, instrumentos musicais, bolas de futsal, basquete, handebol e vôlei, uniforme para instrutores e fardamento para os alunos, além de equipamentos de eletro informática e de mobiliário de apoio ao trabalho administrativo.

    “O trabalho técnico foi concluído com competência, estamos agora aguardando a aprovação da proposta pelo Ministério da Justiça e com isso vamos ampliar os investimentos em segurança pública em Natal”, ressaltou o titular da Semdes, Osório Jácome.

    publicidade
    ide

    março12

    Guardas municipais vão contribuir na segurança dos protestos de amanhã(13)

    A Secretaria Municipal de Segurança Pública e Defesa Social (Semdes) informou por intermédio do Comando da Guarda Municipal do Natal (GMN) que vai disponibilizar um efetivo de 30 guardas municipais que vão atuar em conjunto com a Polícia Militar na segurança dos protestos marcados para acontecer amanhã (13), às 15h, na Praça Pedro Velho, no bairro de Petrópolis, em Natal. Outros 50 guardas municipais que estarão de serviço no dia do evento em unidades de saúde da rede municipal, na central de videomonitoramento e em outros prédios públicos vão ficar de sobreaviso para qualquer necessidade.

    Segundo o comandante da GMN em exercício, Franklin Roosevelt, uma reunião para planejar as medidas de segurança que vão ser deflagradas durante a manifestação foi realizada na manhã de ontem(11), no Gabinete de Gestão Integrada Estadual (GGI-E). Na oportunidade se fizeram presentes gestores das polícias Militar, Civil e Rodoviária Federal, Guarda Municipal, Corpo de Bombeiros e Secretaria Municipal Mobilidade Urbana de Natal. “Vai ser uma operação integrada buscando zelar pela segurança dos cidadãos que vão participar do movimento e pelo ordenamento da manifestação para que tudo ocorra de maneira pacifica e democrática”, explicou o comandante.

    Nesse mesmo sentido o titular da Semdes, Osório Jácome, participou de uma reunião na quinta-feira (10) no Ministério Público com a secretária estadual da Segurança Pública, Kalina Leite, o procurador-geral de Justiça, Rinaldo Reis, e o comandante geral da PM, coronel Dancleiton. “Na oportunidade cada gestor informou o que vai ser disponibilizado para garantir a segurança de todos”, informou o secretário.

    Outro ponto importante acertado nos encontros foi o monitoramento do movimento por meio de câmeras. Neste sentido, as equipes das centrais de videomonitoramento da Guarda Municipal de Natal, Polícia Militar e da Semob vão estar com profissionais atentos acompanhado o protesto nas ruas e avenidas que dispõe de câmaras de segurança operadas por essas instituições. “A GMN está preparada para dar sua contribuição da melhor maneira possível”, finalizou o comandante Roosevelt.

    março12

    PF encontra cofre da família de Lula no BB

    A Polícia Federal encontrou um cofre da família do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em novas diligências secretas realizadas ao longo desta semana. Dessa vez, os alvos foram presentes e joias raras recebidos por Lula durante encontros oficiais com chefes de estado. Os bens estão guardados, sem custo algum, em 23 caixas lacradas numa agência do Banco do Brasil, localizada no centro de São Paulo, desde 21 de janeiro de 2011, mês em que Lula deixou o governo.

    O pedido da nova busca e apreensão ocorreu após os policiais encontrarem na residência do ex-presidente em São Bernardo do Campo, grande São Paulo, um documento intitulado “Termo de Transferência de Responsabilidade (Custódia de 23 caixas lacradas)", datado de 19 de março de 2012. No material, consta a informação de que os bens estão sob a guarda da mulher de Lula, Marisa Letícia Lula da Silva, e de seu filho Fábio Luis Lula da Silva, conhecido como Lulinha. Entre os responsáveis pela entrega dos presentes na agência está Rogério Aurélio Pimentel, assessor especial do ex-presidente, apontado como suspeito de ter bancado despesas da reforma do sítio em Atibaia, São Paulo, frequentado ao menos 111 vezes por Lula.

    Entre os 132 objetos encontrados, classificados como joias e obras de arte, estão medalhas, moedas, comendas, adagas, entre outras peças que Lula ganhou de chefes de estado durante as missões diplomáticas que cumpriu em diversos países, do Chile à Ucrânia. A PF precisou de dois dias para analisar todo o acervo. Nos materiais identificados pelos investigadores, está um crucifixo talhado em madeira, uma obra barroca do século XVI que ficou famosa por ter desaparecido do Planalto quando Lula deixou o governo, em janeiro de 2011. Naquele ano, ÉPOCA revelou que o Cristo morto e crucificado foi dado ao ex-presidente em meados de 2003 por José Alberto de Camargo, então diretor da Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM). O empresário desembolou R$ 60 mil pela lembrança religiosa. Esse e outros itens não foram movimentados ou alterados no cofre desde janeiro de 2011 até hoje. De acordo com o relatório da PF, o gerente da agência do BB, Sérgio Ueda, disse que “não há custo de armazenagem para o responsável pelo material”.

    Uma boa parte dos pertences de Lula retirados do Palácio do Planalto, do Palácio do Alvorada e da Granja do Torto estava armazenada em 10 contêineres em Barueri, na grande São Paulo. A despesa da custódia, orçada em R$ 1,3 milhão, foi bancada pela construtora OAS, envolvida no escândalo do Petrolão, segundo revelou a PF na 24ª fase da Lava Jato.

    No último dia 9 de março, o Senado aprovou um requerimento para pedir ao Tribunal de Contas da União (TCU) que realize uma auditoria para apurar possíveis desvios ou desaparecimento de bens dos palácios do Planalto e da Alvorada.

    Procurado, o advogado Cristiano Zanin Martins, que defende Lula, afirmou que “a discussão do acervo presidencial foge completamente ao escopo da operação da Lava Jato”. “Se existe alguma irregularidade, esse critério deve ser revisto para todos os ex-presidentes da República desde 1991. Nesse caso, a competência não é da operação Lava Jato, mas do MPF de Brasília que conduz um inquérito sobre o assunto”, disse o criminalista. Em setembro do ano passado, a Procuradoria da República no Distrito Federal instaurou um inquérito civil para apurar suspeitas de apropriação indevida de bens públicos recebidos por ex-presidentes em encontros diplomáticos. O procedimento ainda está em andamento. (Época)

    março12

    Suspeito de sequestrar médicos no RN é foragido da Paraíba, diz delegado

    Após serem localizados em meio a um canival na Paraíba, médicos foram trazidos de volta ao RN pela PM potiguar (Foto: Divulgação/PM)

    Após serem localizados em meio a um canival na Paraíba, médicos foram trazidos de volta ao RN pela PM potiguar

    A Polícia Civil do Rio Grande do Norte já tem pistas de pelo menos um dos três criminosos que sequestraram dois médicos potiguares na tarde de ontem (11). Reginaldo Antônio Freitas Junior e Carolina dos Santos Damásio montavam um aula de campo na zona rural de Macaíba, na Grande Natal, quando foram surpreendidos e levados pelos bandidos. As vítimas foram resgatadas à noite, em meio a um canavial na praia de Barra de Camaratuba, no município de Mataraca, litoral Norte paraibano.

    “Já temos a identificação de um deles. O nome não vai ser revelado para não comprometer as investigações. Trata-se de um presidiário foragido do sistema penitenciário da Paraíba. Por fotos, os médicos conseguiram reconhecê-lo. Agora estamos trabalhando para encontrá-lo, assim como os outros dois que também participaram deste crime”, afirmou o delegado de Macaíba Normando Feitosa, responsável pelas investigações. O delegado não descarta a possibilidade de ter mais gente envolvida no caso.

    O sequestro

    Segundo o delegado, os médicos se preparavam para ministrar uma aula de campo na Praça do Baobá, que fica na comunidade de Jundiaí, na zona rural de Macaíba. "Isso foi por volta das 14h50. Eles foram os primeiros a chegar e estavam tirando umas cadeiras plásticas de dentro do carro do médico, uma Toyota Sw4, quando os sequestradores chegaram em um Prisma", relatou.

    "O médico nos contou também que um dos criminosos o obrigou a entrar no carro e ficou com ele na frente do veículo. No banco traseiro, ficaram a médica e outro sequestrador. O terceiro bandido foi dirigindo o Prisma, seguindo a Toyota", explicou Normando.

    Em determinado momento, ainda de acordo com o delegado, um dos criminosos perguntou se o veículo tinha rastreador. "O médico respondeu que sim, mas que não sabia desativá-lo muito menos onde ficava o dispositivo. Enfurecido, o sequestrador ameaçou atirar nas pernas da médica caso Reginaldo não revelasse a localização do rastreador. O médico pediu calma e insistiu dizendo que não sabia, que não colocaria a vida da amiga em risco por causa de um carro. Foi quando o criminoso parou o carro, isso já nas proximidades da entrada da cidade de Monte Alegre, e ordenou que o médico desse R$ 50 para que o terceiro bandido pudesse abastecer o Prisma e retornasse para Natal em busca de um bloqueador para o rastreador. Naquele momento, para mim, ficou claro que os criminosos estavam receosos de que pudessem ser seguidos, uma vez que estavam sendo monitorados", ressaltou Normando.

    "O Prisma voltou para Natal e os criminosos, com o carro do médico, seguiram adiante com as vítimas até uma região de canavial na região de Barra de Camaratuba. Lá, com o passar do tempo, os criminosos ainda renderam dois caçadores que passavam pelo local e tomaram as armas deles. Então ficaram dois bandidos para quatro reféns. O tempo foi passando, foi escurecendo e nada do sequestrador do Prisma retornar ou fazer contato. Foi quando os sequestradores mandaram os dois médicos e os dois caçadores entrarem na mata. Eles foram se afastando e os criminosos fugiram. A Toyota do médico também foi deixada para trás. No final, levaram a aliança da doutora Carolina e R$ 350 do doutor Reginaldo", acrescentou o delegado.

    Normando disse que os primeiros a serem encontrados foram os caçadores, que por serem da região, deixaram os médicos juntos e foram atrás de socorro. "Quando a polícia chegou, uma vez que já estava sabendo do sequestro e acompanhava o monitoramento do veículo, foi fácil localizar o carro e em seguida achar os médicos, que caminhavam numa estrada em meio ao canavial. Felizmente eles não sofreram nenhuma agressão física e passam bem apesar do trauma".

    Normando disse que a polícia tomou conhecimento do sequestro logo após os médicos terem sido levados de Jundiaí. "Quando foram levados, ficou tudo bagunçado no local onde seria a aula de campo. Fomos comunicados e também procurados por familiares. Em seguida, informamos o que estava acontecendo às polícias Civil e Militar da Paraíba e começamos a trabalhar em conjunto. Aqui, tivemos apoio da Divisão Especializada de Investigação e Combate ao Crime Organizado, a Deicor, e do setor de Inteligência da Polícia Civil da Grande Natal, a DPGran", destacou o delegado de Macaíba. (G1RN)

    março9

    Delegados lançam campanha por autonomia da PF

    A Associação Nacional dos Delegados da Polícia Federal (ADPF), em conjunto com entidades parceiras, lançou hoje (9) uma campanha pela autonomia da Polícia Federal. Atualmente, a PF é subordinada e vinculada ao Ministério da Justiça.

    Na campanha, a ADPF pede a aprovação de uma proposta de emenda à Constituição (PEC) que tramita na Câmara dos Deputados e prevê a autonomia orçamentária, financeira e administrativa do órgão.

    Nos últimos dias, ganhou força o movimento pela autonomia da PF por supostas interferências do governo nos trabalhos do órgão. Na última semana, o então ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, deixou o cargo para assumir a Advocacia-Geral da União.

    No posto desde janeiro de 2011, Cardozo era um dos principais conselheiros políticos da presidente Dilma Rousseff, mas vinha sofrendo pressão por parte do PT por não controlar as atividades da Polícia Federal, especialmente nas investigações da Operação Lava Jato.

    À época, a ADPF divulgou nota na qual manifestou "extrema preocupação" com a mudança na pasta. Para a entidade, a saída de Cardozo se deu por "pressões políticas para que controle" os trabalhos da PF.

    De acordo com a associação, outras dez entidades parceiras já aderiram à campanha pela autonomia do órgão. Eles esperam colher cerca de 2 milhões de assinaturas em todo o país.

• Menu


publicidade