Natal(RN), Terça-Feira, 31 de Março de 2015

    março29

    Confronto entre policiais e bandidos deixa 7 mortos em Currais Novos (RN)

    Na madrugada de hoje, na cidade de Currais Novos, uma operação da secretaria de Segurança Pública do Rio Grande do Norte, coordenada pela DEICOR e o BOPE resultou numa grande troca de tiros e 07 suspeitos mortos.

    O confronto aconteceu na entrada da cidade, em frente à empresa VVC Distribuidora. Com os bandidos foram encontradas armas de grosso calibre e uma grande quantidade de material explosivo usado para estourar caixas eletrônicos.

    A Polícia já vinha monitorando essa quadrilha, que é responsável por várias explosões em agências bancárias no Rio Grande do Norte e na Paraíba.

    publicidade
    DNA Center

    março25

    Serviços de saúde vão coletar provas de violência sexual

    A coleta de provas de violência sexual poderá ser feita a partir de agora nos serviços públicos de saúde credenciados. Portaria interministerial assinada nesta quarta-feira, 25, permite que exames necessários para a comprovação da violência sejam realizados já no atendimento médico.

    Atualmente, isso é atribuição exclusiva de segurança pública. O objetivo da medida, de acordo com a ministra da Secretaria de Políticas para Mulheres, Eleonora Menecucci, é tornar mais humanizado o atendimento da vítima e, ao mesmo tempo, reduzir a impunidade. Os vestígios devem ser reunidos logo nas primeiras horas após a violência.

    Existem atualmente 402 serviços de atenção às pessoas em situação de violência sexual, dos quais 131 são 24 horas. A ideia é expandir a rede nos próximos meses.

    Depois da coleta, os vestígios deverão ser encaminhados para unidades especializadas em medicina legal.

    Com a mudança, profissionais da rede de saúde credenciada se encarregam de fazer o atendimento do paciente, a coleta de vestígios e encaminhá-los para autoridade policial, quando requisitados.

    A autoridade policial tem a incumbência de registrar e armazenar os dados, para que eles fiquem disponíveis nos sistema de segurança pública e de justiça.

    As provas somente são usadas caso a mulher queira registrar uma ocorrência contra o autor da violência. "A coleta de vestígios é essencial. Não existe crime sem a prova", observou a ministra.

    Ela lembrou que, quando atuava na casa de atendimento a vítimas de violência na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), havia dúvidas, por exemplo, sobre como e onde armazenar os vestígios do estupro.

    "Quantas mulheres o serviço perdeu, quantos casos ficaram sem solução por não haver uma resposta ágil para essas perguntas."

    Durante a cerimônia de assinatura da portaria, Eleonora afirmou ser imprescindível a implementação da Lei Maria da Penha e a implantação da rede de serviços de proteção para mulher.

    "Hoje há um gargalo para o atendimento", disse Eleonora.

    Atualmente, há uma Casa da Mulher Brasileira, em Campo Grande. Está prevista a construção de 27, seis delas neste ano.

    Eleonora afirmou que a integração entre as áreas de proteção da mulher, segurança e saúde é essencial. "A transversalidade é indispensável. E deve ser feita na ponta, no atendimento ao público", completou.

    O ministro da Saúde, Arthur Chioro, afirmou que a portaria pretende criar uma rede de proteção para mulheres. "Diminuir toda situação de medo que envolve situações de violência", disse.

    Foi assinada também uma portaria que institui um grupo de trabalho para criar estratégias para o cuidado da saúde da mulher com deficiência e mobilidade reduzida.

    "Não é mais um. Ele tem prazo, ele tem foco", assegurou Chioro.

    Dados do Sistema de Vigilância em Violência e Acidentes de 2013 mostram que foram registradas 200 mil situações de violência doméstica, das quais 136.785 contra mulheres.

    "Não acabaremos com a violência. Mas o governo tem o compromisso de que as vítimas possam ser protegidas e amparadas", completou Chioro. (Estadão)

    publicidade
    escola_escritorio

    março24

    Presos da Operação Lava Jato são transferidos para penitenciária

    Dez presos da Operação Lava Jato foram transferidos, na manhã de hoje (24), da Superintendência da Polícia Federal (PF), em Curitiba, para o Complexo Médico-Penal, em Pinhais, na região metropolitana da capital paranaense. Eles saíram algemados em um ônibus, por volta das 8h10.

    O juiz federal Sérgio Moro atendeu a solicitação da PF, que alegou não ter condições de manter todos os presos nas várias fases da operação na carceragem de Curitiba. A polícia argumentou que não poderia garantir que os acusados seriam mantidos sem contato entre si, uma das medidas estabelecidas pela Justiça ao determinar as prisões.

    O ex-diretor da Área Internacional da Petrobras Nestor Ceveró vai permanecer na PF, porque está fazendo tratamento psicológico. Mais seis presos permanecem no prédio da polícia. Dois detentos serão levados para a unidade penitenciária após prestar depoimento.

    De acordo com a Secretaria de Segurança do Paraná, o Complexo Médico-Penal é uma unidade destinada a presos provisórios ou condenados que precisam de atendimento psiquiátrico ou tratamento em ambulatório.

    Entre os presos levados para a penitenciária estão o ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque e o empresário Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano; Adir Assad e Mário Goes, acusados de ser operadores do esquema de desvios na Petrobras.

    A decisão do juiz Sérgio Moro atinge também executivos de empreiteiras Agenor Franklin Magalhães Medeiros, José Aldemário Pinheiro Filho, José Ricardo Nogueira Breghirolli e Mateus Coutinho de Sá Oliveira (OAS); Erton Medeiros Fonseca (Galvão Engenharia); Gerson de Mello Almada (Engevix); João Ricardo Auler (Camargo Corrêa) e Sérgio Cunha Mendes (Mendes Júnior).

    publicidade
    Pet Stop

    março24

    Chance de prorrogação de mandatos é zero, diz Henrique

    O ex-presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Alves (PMDB), criticou a Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte (FEMURN), que defende a proposta de prorrogação de mandato para os atuais prefeitos. Henrique classificou a iniciativa de “infeliz”, já que há “chance zero” de aprovação. 

    “Isso (prorrogação) só ocorreu em regime de exceção. É anti-democrático prorrogar mandatos de quem se elegeu por tempo determinado”, disse Henrique.

    publicidade
    Agronorte

    março16

    Secretário é exonerado, após rebeliões em presídios, e Kalina Leite responde por duas secretarias

    O advogado Zaidem Heronildes da Silva Filho foi exonerado da Secretaria Estadual de Justiça e Cidadania (Sejuc) do Rio Grande do Norte após a onda de rebeliões que acontece nos presídios do estado desde a semana passada. A informação foi confirmada nesta segunda-feira (16) pela assessoria de comunicação da Secretaria Estadual de Segurança Pública e Defesa Social (Sesed). Ainda de acordo com a assessoria de comunicação, a Sejuc será comandada interinamente pela delegada de Polícia Civil Kalina Leite Gonçalves, que já responde pela Sesed.

    A assessoria de comunicação ainda informou que Kalina Leite assume a Sejuc atendendo a um pedido pessoal do governador Robinson Faria (PSD). A exoneração de Zaidem Heronildes deve ser publicada no Diário Oficial do Estado desta terça-feira (17). O advogado passou pouco mais de dois meses no cargo. Foi anunciado como secretário de Justiça e Cidadania em 5 de janeiro e tomou posse no dia 7 de janeiro.

    As rebeliões já atingiram cinco unidades prisionais do Rio Grande do Norte. Na quarta (11), quinta-feira (12) e sexta-feira (13) da semana passada, detentos se rebelaram na Penitenciária Estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta; no Presídio Provisório Professor Raimundo Nonato, na Zona Norte de Natal; Centro de Detenção Provisória (CDP) da Zona Norte, também na capital; e na Penitenciária Estadual de Parnamirim (PEP), na cidade da região metropolitana.

    Os motins continuaram nesta segunda em três unidades prisionais. Além da Penitenciária Estadual de Alcaçuz e Penitenciária Estadual de Parnamirim, desta vez o Complexo Prisional João Chaves também registrou um motim de presos. Todas as três rebeliões foram controladas no início da tarde, no entanto as grades e celas dos pavilhões foram destruídos. A Coordenação de Administração Penitenciária ainda não tem um balanço dos prejuízos.

    As informações das direções das unidades prisionais é que as ordens para os presos iniciarem os motins partiram da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, a maior unidade prisional do Rio Grande do Norte.

    MP investiga falta de vagas

    O Ministério Público do Rio Grande do Norte instaurou inquérito civil para investigar a falta de vagas nos presídios do estado. O inquérito vai apurar medidas usadas pelos órgãos públicos responsáveis pela gestão do sistema penitenciário estadual. Segundo o MP, não há unidades prisionais suficientes no estado.

    De acordo com o MP, a população carcerária no RN é de, aproximadamente, 7.650 pessoas e o Estado disponibiliza cerca de 4 mil vagas. Devido à recente série de rebeliões nos presídios, o órgão investigará as condições estruturais das unidades prisionais e a gestão do sistema penitenciário.

    A "grave ineficiência funcional dos agentes públicos responsáveis pela gestão deste sistema" é citada na publicação do Diário Oficial local como um dos principais motivos para a superpopulação carcerária. (G1 RN)

    publicidade
    Marcelo Abdon

    março16

    Ônibus são incendiados em Natal

    Foto: Edmo Nathan/celular

    Três ônibus foram incendiados entre a tarde e a noite de hoje. O primeiro atentado ocorreu por volta das 16h30, na Av. Santarém e o segundo atentado aconteceu no Golandim, ambos na zona Norte da cidade.

    O terceiro atentado foi na noite de hoje (16), por volta das 20h, quando três homens tomaram o ônibus da linha 39, da empresa Santa Maria, em frente ao Colégio Maria Auxiliadora, na movimentada Av. Hermes da Fonseca, no bairro Tirol. Um deles estava armado com um revólver calibre 38.

    Os homens ordenaram que o motorista, o cobrador e o único passageiro descessem e, em seguida, espalharam gasolina que estava em um botijão e atearam fogo no veículo.

    Segundo informações, os vândalos fugiram em direção ao bairro Mâe Luiza.

    Depois do ocorrido,o clima de insegurança se instalou e os motoristas dos ônibus coletivos da capital potiguar foram orientados a retornarem às garagens à medida que os passageiros forem descendo.

    março14

    Freira idosa é estuprada em colégio religioso

    Uma freira na casa dos 70 anos foi estuprada nas primeiras horas deste sábado (13), quando um grupo de cerca de cinco intrusos invadiu um colégio religioso no leste da Índia, informou a polícia.

    O grupo praticou atos de vandalismo na escola e um dos invasores atacou a freira, disse o comandante da polícia local Abhijit Biswas, acrescentando que a vítima está hospitalizada e que nenhum suspeito foi preso.

    O ministro-chefe do Estado de Bengala Ocidental, Mamata Banerjee, onde a escola está localizada, condenou o incidente e afirmou que "ações imediatas e mais fortes" seriam tomadas.

    A morte de uma estudante após um estupro brutal em Nova Deli, em 2012, causou indignação nacional e elevou a pressão pública por uma Justiça mais rápida em um país onde o crime contra as mulheres é galopante, mas os procesos judiciais podem se arrastar por anos.

    Dias atrás, uma mobilização de algumas centenas de pessoas invadiu uma prisão de segurança máxima no nordeste da Índia, arrastou para fora um suspeito de estupro e o matou em público. (Reuters)

    março1

    Criminoso americano procurado por crimes sexuais é preso no RN


    Fotos: Daniel Costa/G1

    A Polícia Militar prendeu na noite de sexta-feira, dia 27, no litoral Sul do Rio Grande do Norte, o americano Victor Arden Barnard, 53 anos, líder de uma seita religiosa nos Estados Unidos e que responde a 59 acusações de abusos sexuais contra crianças e adolescentes, crimes que teriam ocorrido entre os anos de 2000 e 2012.

    A Polícia Federal confirmou as informações e revelou que Barnard era procurado pela Organização Internacional de Polícia Criminal, mundialmente conhecida como Interpol, e que ele também figurava na lista dos 15 mais procurados pela agência U.S. Marshal, organização policial americana responsável pela busca e captura de foragidos internacionais.

    "A agência U.S. Marshal oferecia uma recompensa de 25 mil dólares (o equivalente a aproximadamente 72 mil reais) para quem desse informações que levassem o acusado à prisão. Contudo, como a Polícia Militar cumpriu com sua obrigação constitucional, assim como a própria Polícia Federal, o dinheiro não será reclamado”, acrescentou o delegado Paulo Henrique Oliveira, superintendente em exercício da PF no Rio Grande do Norte.

    Ainda de acordo com o delegado, o americano entrou de forma legal no Brasil em 2012, só sendo considerado procurado internacionalmente a partir de abril de 2014, quando condenado.

    A prisão

    O tenente da Polícia Militar Daniel Costa participou da prisão. Ele revelou que o estrangeiro foi encontrado por volta das 21h em uma casa dentro de um condomínio na paradisíaca praia da Pipa, município de Tibau do Sul. Escrituras, documentos, agendas, computadores, pendrives, aparelhos e chips celulares foram apreendidos e levados para a sede da Polícia Federal, em Natal.

    “Uma brasileira de 33 anos, que já morou nos Estados Unidos, dava cobertura ao acusado. Ela assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por favorecimento pessoal e foi liberada. Já o americano, foi levado para a superintendência da PF. Havia um mandado de prisão contra ele, incluindo uma ordem de extradição já assinada pelo Supremo Tribunal Federal”, afirmou o oficial.

    Ainda segundo o tenente, as informações sobre a presença do americano na praia da Pipa foram repassadas pela Polícia Federal. "Depois disso, demos início a uma operação para prendê-lo. Contamos com o efetivo da PM de Tibau do Sul e da Pipa", acrescentou.

    Jesus na carne

    De acordo com a imprensa americana, Victor Barnard começou a ser investigado em 2012 no estado americano de Minessota, quando duas de suas seguidoras resolveram denunciá-lo. Uma delas alegou que vinha sofrendo abusos sexuais desde os 12 anos. Outra, desde os 13 anos, quando ela e a família se juntaram a uma igreja chamada River Road Fellowship. Autoridades disseram que a congregação é um desdobramento do The Way International, grupo que se autodenomina cristão.

    Em julho de 2000, Barnard criou um grupo de jovens meninas chamado de "Maidens" ou "Alamote", segundo a denúncia. O grupo, que tinha 50 membros, pregava que as meninas deveriam permanecer virgens e nunca se casar.

    Na época, ainda de acordo com a denúncia, Barnard pregava que ele próprio representava “Jesus na carne”, e que para ele era normal fazer sexo com suas seguidoras, uma vez que “Cristo tinha tido relações com Maria Madalena e outras mulheres que o seguiam, assim como o rei Salomão havia dormido com muitas concubinas”.

    Em 2011, o grupo liderado por Barnard se mudou de Minessota para o estado de Washington. Em novembro de 2012, após ser condenado, a polícia foi atrás de Barnard, mas ele não foi localizado. (G1 RN)


publicidade