Natal(RN), Sexta-Feira, 28 de Agosto de 2015

    maio31

    Vacina para câncer da mama é testada com sucesso em ratos

    AP

    Cientistas americanos dizem ter desenvolvido uma vacina que impediu o desenvolvimento do câncer da mama em ratos. A vacina possui a substância a-lactalbumina, que inibe o aparecimento do câncer de mama.

    Os pesquisadores planejam agora fazer testes da droga em humanos. Eles avisam, no entanto, que pode levar alguns anos até que uma vacina esteja disponível para o público.

    O imunologista que chefiou a pesquisa, Vincent Tuohy, do Cleveland Clinic Learner Research Institute, disse que a vacina age em uma proteína encontrada na maioria dos tumores da mama.

    publicidade
    DNA Center

    maio31

    Paralização dos ônibus

    Os motoristas dos ônibus que circulam na capital estão nesse momento parados em frente ao Sindicato dos Motoristas, no Baldo. A paralização de advertência será por duas horas.

    A categoria reinvidica reajuste salarial e segurança no trabalho.

    publicidade
    escola_escritorio

    maio31

    Emparn alerta que semana inteira será de chuvas

    A Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn) acaba de divulgar o balanço das chuvas em Natal esta manhã até às 9:00 hs, a precipitação atingiu 69 milímetros.

    Segundo o meteorologista Gilmar Bristot, da Emparn, a previsão é de que o dia todo permaneça nublado e com chuvas na faixa litorânea e no Agreste potiguar. Além disso, a semana será bastante úmida, com pancadas de chuvas previstas para todos os dias.

    Fonte: TN

    publicidade
    Pet Stop

    maio31

    Governador da Paraíba lança programa para ovinocaprinocultura

    Expandir e aumentar os rebanhos de caprinos e ovinos na Paraíba é a meta do Programa de Fortalecimento da Caprinovinocultura de Produtores de Base Familiar. O programa foi lançado pelo governador José Maranhão na abertura da VI Exposição Nacional das Raças Nativas de Caprinos e Ovinos e da XIX Exposição Estadual de Caprinos e Ovinos de Taperoá, na última quinta-feira (27). Implantado na segunda gestão do atual governador, o processo de desenvolvimento da ovinocaprinocultura foi retomado em 2009 e agora ganha força com o repasse temporário de reprodutores e matrizes de alto padrão genético a pequenos produtores.

    O governador José Maranhão afirmou que a exposição de caprinos e ovinos de Taperoá restabelece uma tradição que foi constante em seu governo e o programa lançado objetiva a melhoria da genética do rebanho, algo absolutamente necessário porque vai gerar mais lucro para o produtor. "Em função desse trabalho que iniciamos no nosso governo anterior, a Paraíba hoje tem a maior produção leiteira do país, porque nossas matrizes leiteiras têm qualidade e o estado é um centro de referência em caprinos e ovinos de qualidade", destacou. Maranhão parabenizou a capacidade do povo do Cariri, que nos últimos dez anos tem contribuído com o crescimento da economia da região.

    A concessão de uso dos caprinos e ovinos envolve 180 animais distribuídos em vinte e cinco núcleos de reprodutores selecionados (cada núcleo com sete fêmeas e um macho), além de alguns machos cedidos individualmente, visando multiplicar de forma mais acelerada a expansão do padrão genético. A estratégia, segundo o presidente da Emepa - Empresa Estadual de Pesquisa Agropecuária da Paraíba, José Costa, é expandir cada vez mais a genética da empresa.

    As raças dos animais utilizados no programa são: Savana, Palmer e Boer. No momento a Secretaria do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca está importando mil embriões e até setembro outros mil embriões serão adquiridos com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Esses embriões vão fazer parte do banco de pesquisa da Emepa e seus técnicos serão capacitados na transferência de tecnologia. O estado tem hoje cerca de 600 mil ovinos e caprinos, resultado de um projeto que teve início no final dos anos 90, com a iniciativa do governador Maranhão que importou dos Estados Unidos e da África animais selecionados de alta produtividade de leite e carne.

    publicidade
    Agronorte

    maio31

    Campanha da febre aftosa é encerrada em 21 estados e no DF

    Termina, nesta segunda, dia 31, a primeira etapa da campanha de vacinação de bovinos e búfalos contra a febre aftosa no Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, São Paulo, Maranhão, Minas Gerais, Paraná, Pará, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Sergipe, Tocantins e Distrito Federal. Os produtores rurais dessas regiões tiveram todo o mês de maio para imunizar o rebanho, estimado em 153 milhões de animais.

    No Espírito Santo, Mato Grosso, Paraná e São Paulo apenas os bois e búfalos com até 24 meses de idade precisaram ser vacinados nesta etapa. Em Mato Grosso do Sul, os produtores do Pantanal puderam optar pela vacinação em maio de todos os bois e búfalos e, na região do Planalto, a dose foi obrigatória apenas para os animais com menos de dois anos. Nos outros estados, a campanha foi direcionada a todo o rebanho. No ano passado, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) registrou cobertura vacinal média superior a 97% na etapa equivalente a esta.

    A vacinação dos animais é uma das estratégias que o Ministério da Agricultura adota para obter reconhecimento de todo o país como área livre de febre aftosa com vacinação até o final deste ano.

    maio31

    Brasil comemora Dia Mundial sem Tabaco

    A exposição Propagandas de Cigarro - Como a Indústria do Fumo Enganou as Pessoas, no Anexo 2 da Câmara dos Deputados, marca hoje (31) em Brasília o Dia Mundial Sem Tabaco. A mostra, que ficará aberta ao público até 11 de junho, apresenta estratégias da indústria do cigarro para atrair fumantes desde o início do século passado.

    Para comemorar a data este ano a Organização Mundial da Saúde (OMS) escolheu como tema Gênero e Tabaco, com ênfase no marketing para mulheres, com o objetivo de alertar sobre os males que o cigarro causa à saúde e ao meio ambiente.

    Também em Brasília, a Aliança de Controle do Tabagismo (ACT) lança publicações sobre o tema, entre elas Gênero e Tabaco - As Mulheres e o Tabagismo, resultado de pesquisas feitas após um seminário promovido em março de 2009.

    O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, participa das comemorações às 10:00 hs, na área externa da Reitoria da Universidade Federal do Rio de Janeiro, na Ilha do Fundão. Na ocasião, o Instituto Nacional do Câncer (Inca) vai promover o plantio de flores em frente ao prédio como um contraponto aos males causados pelo cigarro. O Inca desenvolveu ainda peças promocionais para uma campanha com o slogan "Mulher, Você Merece Algo Melhor que o Cigarro!"

    Em São Paulo, o Instituto do Coração (Incor) promove, das 08:30 hs às 15:00 hs, campanha comemorativa do Dia Mundial sem Tabaco. O evento inclui medição de monóxido de carbono no ar exalado pelo indivíduo, indicador importante do grau de poluição do organismo pelo cigarro. Haverá também campanha de atendimento e orientação ao público, no Vão Livre do Masp, organizada pela Sociedade Brasileira de Cardiologia.

    maio30

    Centro de Natal enfrenta crise

    O comércio do centro de Natal enfrenta a pior crise dos últimos anos. Semanalmente se observa lojas fechadas, outras em liquidação para entrega do prédio, até mesmo os chineses que abriram lojas nos últimos dois anos estão se afastando após o assassinato dos dois casais de chineses, ocorrido no início do ano, o que fez com que muitos procurassem outros estados para montarem seus comércios.

    Alguns comerciantes alegam que o centro já vinha enfrentando problemas, mas que agravou-se após as Secretarias Municipais de Saúde e Educação terem sido transferidas do edifício onde funcionou o Hotel Ducal.

    Os proprietários dos restaurantes do centro estão muito preocupados com a possibilidade do Governo instalar uma unidade do restaurante popular. Caso isso ocorra, todos os restaurantes do centro fecharão as suas portas, uma vez que já atravessam momento muito difícil.

    maio30

    CCJ do Senado vota projetos sobre questões eleitorais

    A Comissão de Constituição e Justiça do Senado votará nesta semana alguns projetos de lei em caráter terminativo que dizem respeito a questões eleitorais. Um deles, de autoria do senador Aloizio Mercadante (PT-SP), propõe que o parlamentar que mudar de partido três anos antes da eleição deverá perder o mandato. A justificativa do senador, é que esta é uma forma de fortalecer as legendas no contexto de uma reforma política.

    Outro projeto terminativo a ser votado na CCJ na próxima quarta-feira (2) é o que suprime um artigo da constituição que trata das punições ao eleitor que não votar, não justificar a ausência e não pagar a multa à Justiça Eleitoral.

    Para o autor do projeto, senador Marco Maciel (DEM-PE), a multa em si e a cassação do registro eleitoral do cidadão após a ausência não justificada em três eleições “são medidas suficientemente desestimuladoras” para o eleitor.

    Há ainda na pauta da comissão, um projeto do senador Cristovam Buarque (PDT-DF), que estabelece regras de fidelidade ao programa do partido.

    maio30

    Mudanças na Lei Pelé pretendem valorizar atletas e clubes formadores

    O projeto que propõe alterações na Lei Pelé deverá ser votado na próxima quarta-feira (2). De acordo com o texto, o atleta em formação terá garantida a assistência educacional, psicológica, médica e odontológica e o período de formação não pode ultrapassar quatro horas diárias e deverá ser sempre ajustada aos horários do currículo escolar ou curso profissionalizante.

    Por outro lado, a entidade desportiva poderá receber indenização de até 200 vezes os gastos comprovados com o atleta em formação, se ficar impossibilitada de assinar o primeiro contrato por oposição do atleta ou quando ele se vincular a outra entidade de prática sem sua autorização. Além disso, a entidade terá direito de preferência para a primeira renovação do contrato do atleta nos primeiros três anos de sua profissionalização.

    Segundo o relator, senador Álvaro Dias (PSDB-PR), o aumento da transferência de jogadores para o exterior se deve ao fim do “passe”. Para ele, se por um lado o fim do vínculo esportivo faz com que a maioria dos atletas sejam vendidos para clubes estrangeiros, por outro, não se pode permitir que “gestões amadoras” impossibilitem ações a longo prazo. “A incapacidade de gerar receitas superiores às despesas faz com que a única fonte realmente significativa de recursos para os clubes seja a venda de atletas”, explicou.

    As entidades responsáveis pela formação do atleta vão receber 5% do valor pago pela transferência nacional do esportista: 1% para cada ano de formação do atleta, dos 14 aos 16 anos, e O,5% para cada ano de formação, dos 18 e 19 anos. Álvaro Dias explicou que a ideia é permitir que os clubes tenham condições financeiras de se manter e continuar o trabalho de formação de novos atletas e também de manter os jogadores profissionais no Brasil.

    “Não parece razoável que times como Flamengo e Corinthians que, somados, contam com mais de 50 milhões de torcedores, não tenham condições econômicas, pelo menos aproximadas, às dos grandes times europeus. De outra parte, também não podemos nos acostumar com o fato de torcermos por uma seleção brasileira formada exclusivamente por atletas que jogam fora do Brasil”.

    O projeto prevê ainda as hipóteses de nulidade de contrato firmado entre o atleta e o agente desportivo: em caso de restrição à liberdade de trabalho, quando houver obrigações consideradas abusivas ou tratarem de gerenciamento de carreira de atleta em formação menor de 18 anos.

    No caso de atletas profissionais, o projeto que altera a Lei Pelé também inclui algumas regras relativas ao período de concentração antes de jogos: não deverá ser superior a três dias consecutivos por semana. O prazo poderá ser ampliado em caso de competições fora da localidade onde a entidade tem sede. Os atletas também terão direito a 24 horas ininterruptas de descanso, de preferência nos dias seguintes aos jogos, quando o jogo ocorrer no fim de semana. Além de férias de 30 dias, sempre durante o recesso das atividades desportivas e uma jornada de trabalho desportiva normal, de 44 horas semanais.

    Para o secretário-executivo do Clube dos 13, Dagoberto Fernando dos Santos, do jeito que está, as alterações na Lei Pelé encontram apoio em diversos segmentos desportivos. “Esta é uma lei consensual, onde ninguém leva tudo e todos levam um pouco”, disse.

    A espera, agora, é pela aprovação da matéria, que tramitou na Câmara por cinco anos. Se aprovada, retorna para análise dos deputados. “A expectativa é para votar rápido, ajustar e voltar para a Câmara”, disse o ministro dos Esportes, Orlando Silva.


publicidade